Definitivamente, o dia 11 de junho é marcante na história das Copas. Sobretudo para os africanos. Afinal, vários momentos históricos para as seleções do continente aconteceram justamente neste dia. Em 1986, por exemplo, Marrocos se tornou a primeira equipe da África a se classificar para a fase seguinte do Mundial. Passou por cima de Portugal e ficou na primeira posição de uma chave que ainda contava com Inglaterra e Polônia. A equipe estrelada pelo goleiro Zaki, no entanto, não resistiu à Alemanha Ocidental nas oitavas de final.

Em 2002, outro jogo marcante. Senegal e Uruguai fizeram uma partidaça com seis gols, que acabou selando a classificação dos africanos no segundo lugar do Grupo A. Mesmo dia em que Zidane se arrastou em campo e jogou demais, mas não evitou a eliminação da favorita França, derrotada pela Dinamarca. Já em 2010, a África do Sul abria a primeira Copa no continente, ao empatar com o México por 1 a 1. Os Bafana Bafana também seriam os primeiros anfitriões a cair na fase de grupos, dois jogos depois.

Dia inédito também em 1958, quando Brasil e Inglaterra fizeram o primeiro 0 a 0 da história dos Mundiais, no único tropeço da campanha canarinho na Suécia. Ou mesmo para o México, que em 1970 passou pela primeira vez às oitavas de final ao vencer a Bélgica, do inspirado goleiro Christian Piot.

Em 1978, 11 de junho marcou a eliminação do time fortíssimo da Escócia, de Dalglish e Souness. Os britânicos precisavam vencer a Holanda e venceram, mas não pelo saldo suficiente. Já em 1998, outro duelo memorável. Empate por 2 a 2 entre a Itália e o Chile. Salas marcou os dois gols para La Roja. Porém, no fim do jogo, houve um pênalti a favor da Itália. E Roberto Baggio, espantando seus fantasmas, definiu o placar.

1958: Brasil 0×0 Inglaterra

1970: México 1×0 Bélgica

1978: Escócia 3×2 Holanda

1986: Marrocos 3×1 Portugal

1998: Itália 2×2 Chile

2002: Dinamarca 2×0 França

2002: Senegal 3×3 Uruguai

2010: África do Sul 1×1 México