Neymar é o grande nome do Brasil na Copa do Mundo (AP Photo/Victor R. Caivano)

14 histórias do futebol para acompanhar em 2014

O ano novo vem chegando, e não será um ano qualquer. É o ano do “quero ver na Copa” ser colocado à prova (eu sei, você não aguenta mais ouvir essa frase, nem eu). É o ano também de vermos os novos estádios em funcionamento, de ver Guardiola comandando um Bayern arrasador no futebol europeu, de ver o time do Papa tentando um título inédito que quebraria um tabu. Tem eleições na CBF e tem o mundo todo de olho no que acontecerá na Copa do Mundo, o maior evento de futebol do planeta, acontecendo bem aqui no nosso quintal. Separamos 14 histórias para você acompanhar nesse ano que vem chegando. E esse é só o primeiro de uma série de especiais sobre o futebol em 2014. Fique ligado na Trivela durante toda essa semana. E vamos às histórias:

As manifestações antes e durante a Copa

O ano de 2013 deixou a impressão que o brasileiro das grandes capitais brasileiras tomou gosto por ir às ruas. Se isso não causou grandes reformas no país, o impacto ainda assim foi grande. Com a Copa do Mundo no horizonte, é impossível descartar que novas manifestações aconteçam com o evento se aproximando ou até mesmo durante os jogos. Até pela violência que foi usada de parte a parte e as faixas contra a Fifa que apareceram durante as manifestações de 2013 (embora seja importante lembrar que essa NÃO foi a principal razão das manifestações, como chegou a se falar por aí).

Eleições na CBF

Marco Polo Del Nero é o candidato da situação e contará com a máquina de governo para tentar se eleger. Só que pela primeira vez em muitos anos, é possível que haja uma oposição de fato. Um grupo que tem como nomes famosos o presidente da Federação Gaúcha de Futebol, Francisco Novelletto, e o ex-presidente do Corinthians, Andrés Sánchez, deve fazer uma batalha para conseguir votos. E uma pequena, mas real possibilidade de uma ruptura entre clubes e CBF. Ou então um novo dirigente, fazendo mais do mesmo. Afinal, era ruim com Ricardo Teixeira e não melhorou com José Maria Marin. O que nos diz que irá melhorar com algum dos candidatos?

Neymar na Liga dos Campeões

O melhor jogadores brasileiro na atualidade terá pela frente um grande desafio. A Liga dos Campeões é um torneio difícil e que o Barcelona terá um enorme desafio pela frente já nas oitavas de final, o Manchester City. O brasileiro terá a chance de mostrar seu imenso talento em um palco que é visto como o maior torneio interclubes do mundo. Com as boas atuações que acumulou nessa primeira metade de temporada, será bem interessante ver como ele e Messi se encaixam em um  time que tem a ambição de voltar a reinar na Europa.

Quem para o Bayern de Guardiola?

O Bayern de Munique se tornou um time irresistível na temporada passada, sob o comando de Jupp Heynckes. As dúvidas a respeito do que Pep Guardiola poderia fazer para melhorar o time ficaram para trás. O treinador superou essa dúvida e transformou o Bayern vencedor em um time ainda mais forte e com repertório mais repleto. Será que o time consegue ser o primeiro bicampeão da era Liga dos Campeões? Será que o Bayern pode criar uma era, como o Barcelona que ele mesmo comandou?

San Lorenzo na Libertadores

O único time grande da Argentina que nunca levantou a taça mais cobiçada da América do Sul terá uma nova chance em 2014. Consagrado pelo título do Torneio Inicial, o time do Papa Francisco terá um enorme desafio pela frente se quiser quebrar esse tabu. Considerando que nos últimos dois anos, dois times conseguiram justamente quebrar tabus históricos, Corinthians e Atlético Mineiro, por que não acreditar no campeão argentino e time do Papa? A torcida certamente fará a sua parte.

Estádios novos no Brasil

Em 2014 teremos todos os estádios da Copa do Mundo prontos. É possível que o fenômeno de 2013 se repita: grandes times brasileiros vendendo seus mandos de campo para jogar em estádios modernos, mas distantes da sua torcida local. Por outro lado, teremos estádio de primeiro mundo para alguns dos nossos times, o que pode ser um incentivo para uma mudança e modernização em todos os estádios – ou, quem sabe, uma forma de aumentar a segurança dentro dos estádios, não só para brigas, mas para toda a infraestrutura.

Lionel Messi na Copa do Mundo

Em termos de idade, Messi está no seu auge. Aos 26 anos, ele está em uma idade onde o jogador atinge uma maturidade ao mesmo tempo que o seu corpo ainda responde muito bem à velocidade do seu pensamento. O melhor jogador do mundo chegará ao Brasil sedento para ganhar uma Copa do Mundo e conquistar o maior título que um jogador de futebol pode ter, e que ainda falta em sua farta coleção. Só por isso, a Argentina já seria uma forte candidata. Mas vai além: o time é muito bom, tem um ataque mortal e nomes importantes como Agüero, Higuaín e Di María. Será que Messi consegue lidar com a pressão e carregar a Argentina a um título que não vem há 28 anos?

Possibilidade de greve do Bom Senso

O ano de 2013 foi marcado por diversas manifestações do grupo Bom Senso, que tenta mudanças para melhorar o futebol. Só que uma das principais ameaças do grupo ficou para 2014: a possibilidade de greve no futebol brasileiro, algo muito raro de acontecer por aqui, ao contrário da Argentina, por exemplo. Se as exigências do grupo não forem negociadas pela CBF, há uma possibilidade real do início dos campeonatos estaduais serem atrasados por uma greve sem precedentes no futebol brasileiro.

Seedorf na Libertadores

Campeão da Liga dos Campeões por três clubes diferentes, o surinamês naturalizado holandês Clarence Seedorf terá a chance de jogar o maior torneio de clubes da América do Sul. Ele foi o grande nome do Botafogo que voltou à competição depois de 18 anos e poderemos ver a curiosa cena de Seedorf cobrando escanteio em Quito, na altitude, e sofrendo com as dificuldades que só os campos da América do Sul proporcionam.

Atlético de Madrid de Simeone

Ninguém acreditava que o Atlético de Madrid lutaria de fato pelo título espanhol, mas o que se viu na primeira parte da temporada deixa evidente que o time de Simeone não pode ser descartado. Empatado em pontos com o Barcelona, o time de Simeone não cansa de surpreender. Até onde os Colchoneros podem ir sob o comando do argentino? Não parece haver limites para isso.

A disputa Cristiano Ronaldo x Messi

Com Cristiano Ronaldo como o principal candidato ao prêmio Bola de Ouro, Messi deve estar se coçando para voltar rasgando e mostrar a sua infindável capacidade de marcar gols. Com a Copa do Mundo pela frente, é de se imaginar que será uma batalha feroz. Quem ganha? Todo mundo que gosta de futebol, que tem a chance de ver dois dos melhores da história jogando. Ao mesmo tempo. Um contra o outro.

Comportamento da torcida brasileira na Copa

Vimos na Copa das Confederações um cenário pouco comum nas Copas do Mundo anteriores: uma torcida que se manifesta e apoia e vaia intensamente times que não são seus. A Espanha reclamou um bocado de ter tomado vaia atrás de vaia. É quase certo que outras seleções grandes sofram com isso. Afinal, para quem você acha que o torcedor brasileiro vai torcer em um Alemanha x Gana? Ou mesmo um Equador e França? Ou mesmo a torcida a favor de seleções menores, como foi com Taiti. Deve colocar um tempero na Copa. E um caráter de diversão que outras Copas não tiveram.

Infraestrutura do Brasil na Copa

Com toda a demanda que será feita em cima do Brasil, dos aeroportos, hotéis, restaurantes, transporte público e tudo mais, como o país responderá? Será que veremos esses muitos problemas serem ao menos amenizados? É de se imaginar que haja uma operação de guerra durante a Copa para evitar que alguns dos problemas aconteçam. Será suficiente? Ficará a lição de como podemos fazer funcionar bem esses serviços? Será o ano de sair do “Imagina na Copa” para o “Ih, estamos na Copa”.

O Brasil na Copa do Mundo

Jogando a Copa do Mundo em casa, com uma camisa muito pesada e, depois de Felipão, um time muito forte, o Brasil terá um cenário amplamente favorável para ganhar a Copa. Mas também terá que lidar com a pressão se o time não jogar bem. O apoio das arquibancadas virá. E a Copa do Mundo é muito maior hoje do que era em 1950. Portanto, teremos o Brasil com um apoio nunca antes visto. E tem tudo para acabar em uma grande festa – ou mais uma derrota marcante.

Acha que faltou algum? Quer incluir o seu? O espaço de comentários é de vocês!