Inglaterra x Brasil, na Copa do Mundo de 1970 (Foto: AP)

7 de junho em Copas: a seleção do Tri vence os campeões do mundo

7 de junho de 1934: a disputa pelo terceiro lugar

Alemanha 3×2 Áustria

No estádio Giorgio Ascarelli, em Nápoles, os alemães conseguiram o terceiro lugar na Copa do mundo da Itália. Os alemães sempre estiveram em vantagem no jogo e venceram com dois gols de Ernst Lehner, além de outro gol de Edmund Conen. Foi o quarto gol de Conen no torneio, vice-artilheiro do torneio ao lado de Angelo Schiavio e um gol atrás de Oldrich Nejedly, da Tchecoslováquia.

7 de junho de 1962: goleadas esquecidas

Iugoslávia 5×0 Colômbia

No estádio Carlos Dittborn, em Arica, os iugoslavos trituraram a Colômbia. Milan Galic e Drazan Jerkovic marcaram dois gols cada um e Vojislav Melic marcou outro. O público de 7.167 pessoas via a vitória que classificava a seleção eslava para a segunda fase da Copa. O time ainda venceria a Alemanha Ocidental nas quartas de final por 1 a 0, mas seria eliminada pela Tchecoslováquia por 3 a 1. Na decisão do terceiro lugar, o time ainda perderia para o Chile, dono da casa, por 1 a 0.

Itália 3×0 Suíça

A única vitória da Itália naquela Copa veio na terceira rodada. O time tinha empatado com a Alemanha Ocidental por 0 a 0, perdido para o Chile por 2 a 0. A Suíça tinha perdido os dois jogos anteriores. Diante de 59.828 pessoas no Estádio Nacional, em Santiago, os italianos venceram por 3 a 0, gols de Bruno Mora e dois de Giacomo Bulgarelli.

México 3×1 Tchecoslováquia

Os dois times do grupo do Brasil se enfrentaram na última rodada. E embora o classificado tenha sido a Tchecoslováquia, nesta última partida, no estádio Sausalito, em Viña del Mar, quem venceu foi o México. Com gols de Isodoro Díaz, Alfredo Del Águila e Héctor Hernández. Václav Masek marcou pelos tchecoslovacos. O México terminou em terceiro no grupo, com dois pontos, um a menos que a Tchecoslováquia.

Inglaterra 0×0 Bulgária

No Estádio El Teniente, em Rancagua, a Inglaterra entrou em campo com a Bulgária, o time mais fraco do grupo. Os ingleses já tinham perdido da Hungria na primeira rodada e vencido a Argentina na segunda. Depois de ver o empate por 0 a 0 da Hungria com a Argentina, os ingleses também ficaram no empate sem gols diante das 5.700 pessoas que assistiram ao jogo e se classificou para as quartas de final. Acabariam eliminados nesta fase pelo Brasil por 3 a 1.

7 de junho de 1970: um campeão no caminho do tri

México 4×0 El Salvador

No estádio Azteca, na Cidade do México, os mexicanos passaram por cima dos salvadorenhos, um dos mais fracos times daquela Copa. Com dois gols de Javier Valdívia, um de Javier Fragoso e outro de Juan Ignacio Basaguren.

Suécia 1x Israel

No estádio Luis Dosal, em Toluca, a Suécia ficou no 1 a 1 com a seleção de Israel. Os gols foram de Tom Turesson para a Suécia e Mordechai Spiegles para os israelenses. Os dois times seriam eliminados naquela primeira fase, nos dois últimos lugares do grupo. Os classificados foram a Itália e o Uruguai.

Inglaterra 0×1 Brasil

Brasil e Inglaterra, na Copa do Mundo de 1970 (Foto: AP)

Brasil e Inglaterra, na Copa do Mundo de 1970 (Foto: AP)

No estádio Jalisco, em Guadalajara, um dos jogos que era considerado mais difícil para o Brasil naquela Copa. A Inglaterra, então campeã do mundo, enfrentava o país que tinha vencido em 1958 e 1962. Naquela partida, especificamente, Gérson não jogou e quem entrou foi Paulo César Caju. Diante de 66.843 pessoas, Tostão fez uma grande jogada no ataque contra defensores como Bobby Moore, capitão e ídolo inglês, tocou para Pelé, que fez o passe para Jairzinho marcar o gol da vitória. Ali se sabia que o Brasil era um time forte, que brigaria pelo título. Jairzinho, o furacão da Copa, marcaria um dos seus gols.

Bulgária 2×5 Alemanha Ocidental

A Alemanha passou pela Bulgária com toda a sua força ofensiva. O centroavante Gerd Müller, um dos mais importantes da história das Copas, fez três gols nesta partida. Reinhard Libuda e Uwe Seeler, o capitão do time, marcaram um gol cada.

7 de junho de 1978: empates amargos

Áustria 1×0 Suécia

Pelo grupo do Brasil, a Áustria, que tinha vencido a primeira partida a Espanha por 2 a 1, venceu novamente, desta vez a Suécia. O gol foi de Hans Krankl. O time seria o primeiro colocado do grupo, o que empurraria o Brasil para o grupo da Argentina na segunda fase.

Brasil 0×0 Espanha

O Brasil, de Zico, não saiu de um empate por 0 a 0 com a Espanha (Foto: AP)

O Brasil, de Zico, não saiu de um empate por 0 a 0 com a Espanha (Foto: AP)

No estádio José María Minella, em Mar del Plata, o Brasil que tinha Leão como capitão, Oscar como zagueiro, Toninho Cerezo como volante, Zico no meio-campo e Reinaldo no ataque não saiu de um 0 a 0 com a Espanha treinada por Ladislao Kubala e que tinha Juanito e Marcelino. Foi o segundo empate seguido do Brasil, que tinha ficado no 1 a 1 com a Suécia na estreia. Venceria ainda a Austria na última partida para avançar à segunda fase, quando outro 0 a 0 aconteceria, e seria mais marcante: com a Argentina, dona da casa, na famosa Batalha de Rosário.

Escócia 1×1 Irã

No estádio Chateau Carreras, em Córdoba, Oe escoceses não conseguiram vencer o fraco Irã, o que custaria a classificação mais tarde. O time, que era muito mais forte do que é atualmente, deu ao Irã o primeiro ponto em Copas do Mundo. Seria a única participação iraniana até a volta aos Mundiais, em 1998.

Holanda 0×0 Peru

Time finalista em 1974, em 1978 o time ainda era forte. A Holanda tinha estreado com um 3 a 0 contra o Irã. Contra o Peru, um adversário muito melhor, os holandeses, que não tinham Cruyff, não saíram do zero. O time ainda perderia da Escócia na terceira rodada, mas mesmo assim se classificaria, em segundo lugar.

7 de junho de 1986: entre decepções e vitórias

México 1×1 Paraguai

No estádio Azteca, o México ficou só no empate com o Paraguai por 1 a 1, gols de Luis Flores para os mexicanos, logo aos três minutos, mas Julio César Romero, o popular Romerito no Brasil, empatou o jogo aos 40 minutos do segundo tempo. O público de 114.600 pessoas saiu frustrado do estádio, mas o México ainda conseguiria a classificação em primeiro lugar.

Irlanda do Norte 1×2 Espanha

No estádio Tres de Marzo, em Guadalajara, os espanhóis conseguiram uma vitória importante para a classificação para a segunda fase da Copa. Emilio Butragueño marcou pelos espanhóis logo no início do jogo e Julio Salinas marcou o segundo. Colin Clarke marcou o gol da Irlanda do Norte.

Polônia 1×0 Portugal

No estádio Universitário, em Monterrey, os poloneses venceram os portugueses com um gol de Wlodizimierz Smolarek, aos 23 minutos do segundo tempo. O jogo teve 19.915 torcedores e a Polônia conseguiria a classificação em terceiro lugar. Os portugueses ficariam na primeira fase, lanternas do grupo F.

7 de junho de 2002: o dia das vinganças

Espanha 3×1 Paraguai

Na estreia da Espanha na Copa do Mundo de 2002, no estádio Jeonju, o atacante Fernando Morientes marcou duas vezes e o capitão Fernando Hierro marcou outro. Ambos jogadores do Real Madrid, curiosamente. Foi uma espécie de revanche, já que em 1998 essas duas equipes se enfrentaram e o Paraguai segurou o empate por 0 a 0, que ajudou a eliminar a Roja. O gol do Paraguai foi de Carles Puyol, que marcou contra.

Suécia 2×1 Nigéria

Naquele que era considerado o grupo da morte, a Suécia conseguiu uma vitória importante sobre a Nigéria por 2 a 1. O grande nome do time, Henrik Larsson, marcou os dois gols suecos, enquanto Julius Aghahowa marcou o gol nigeriano. A Suécia avançaria como primeira colocada do grupo, mas cairia diante do surpreendente Senegal por 2 a 1, na prorrogação.

Argentina 0×1 Inglaterra

Argentina e Inglaterra se enfrentaram na Copa de 2002, e Beckham fez o gol da vitória (Foto: AP)

Argentina e Inglaterra se enfrentaram na Copa de 2002, e Beckham fez o gol da vitória (Foto: AP)

Na Copa do Mundo anterior, a Inglaterra ficou com a Argentina entalada na garganta. Os ingleses caíram nos pênaltis para os argentinos e foram eliminados nas oitavas de final. Sob o comando do técnico Sven-Goran Eriksson e com David Beckham como capitão, o time venceu por 1 a 0, gol de Beckham, de pênalti, no Sapporo Dome. A Argentina acabaria eliminada na primeira fase, enquanto a Inglaterra avançaria até ser eliminada pelo Brasil nas quartas de final, em 2002.


Deixe uma resposta