Franck Kessié marcou o seu segundo gol pelo Milan nesta quarta-feira. O meio-campista completou a vitória por 2 a 0 sobre a Spal, balançando as redes em uma cobrança de pênalti. Na comemoração, repetiu o gesto que já se tornou sua marca registrada na Serie A, desde a passagem pela Atalanta: à beira do campo, olhou para a torcida e prestou continência. O que pode parecer uma brincadeira, porém, tem significado bem mais profundo ao marfinense de 20 anos. É uma homenagem a seu pai, militar, falecido em 2007.

“Meu pai era jogador de futebol, jogava à frente da defesa na primeira divisão da Costa do Marfim. Depois, ele se tornou militar, passou a fazer parte do exército. Não lutou na guerra, mas ficou doente e morreu quando eu tinha 11 anos. Por isso a continência: esse é um gesto para homenageá-lo”, contou o milanista. Vale lembrar que a Costa do Marfim atravessou uma guerra civil entre 2002 e 2007, embora a maior parte dos embates armados tenha se encerrado em 2004. A conciliação do país, aliás, teve influencia direta do futebol, com Didier Drogba e outros jogadores da seleção marfinense encabeçando os movimentos de paz após a classificação à Copa de 2006.

Kessié nasceu em Ouaragahio, uma cidade de 40 mil habitantes no sul da Costa do Marfim, de onde também veio o lateral Serge Aurier. Caçula de uma família com sete filhos, o garoto passou a treinar quando tinha 10 anos, enfrentando viagens de três horas e meia até Abidjan, capital econômica do país. Já sua estreia na primeira divisão local aconteceu pelo Stella Club d’Adjamé, no qual permaneceu até os 18 anos.

Destaque nas seleções de base marfinenses, o meio-campista disputou o Mundial Sub-17 de 2013, no qual foi camisa 10 e capitão dos Elefantes. Apesar da queda nas quartas de final, com a eliminação para a Argentina, o prodígio chamou a atenção dos olheiros e acabou levado pela Atalanta meses depois. Passaria ainda por empréstimo pelo Cesena, até se tornar um dos protagonistas da grande campanha na temporada passada, anotando seis gols em 30 partidas. Por fim, especulado em diferentes gigantes do Calcio, foi contratado pelo Milan em negócio que custará, ao todo, €28 milhões aos rossoneri.