O Östersunds entrou na Liga Europa como um completo azarão, mesmo nas preliminares. Poucos esperavam algo de especial dos nanicos suecos, que há seis anos estavam na quarta divisão e sequer haviam disputado a elite do campeonato nacional. Na temporada passada, a equipe conquistou a Copa da Suécia e já poderia se dar por satisfeita pela presença no torneio continental. Mas não parariam por aí. Eliminaram Galatasaray, Fola Esch e Paok para fazer história, alcançando a fase de grupos logo no debute internacional. E estrearam na fase de grupos já com vitória. Viajaram à Ucrânia, para vencer o Zorya Luhansk por 2 a 0. Noite de belos gols em Lviv.

O elenco do Östersunds é um dos mais plurais da Liga Europa. O técnico Graham Potter escalou atletas de sete nacionalidades diferentes no 11 inicial, isso sem contar os suecos com origens em outras partes do mundo. E a identidade múltipla dos rubro-negros foi percebida no placar. O primeiro gol saiu graças a Saman Ghoddos, sueco de origem iraniana que vinha provocando o interesse de clubes da Premier League. O sueco-congolês Ken Sema fez jogadaça pelo lado esquerdo, atravessando todo o campo de ataque, e rolou para o companheiro arrematar.

Por fim, o Östersunds matou o jogo nos acréscimos do segundo tempo. O lance começou na lateral, em cobrança do camisa 10 Hosam Aiesh, sueco que declarou a intenção de defender a seleção palestina. O nigeriano Alhaji Gero dominou, girou sobre a marcação de dois adversários e, do bico da grande área, soltou o balanço indefensável para o goleiro Andriy Lunin. Provisoriamente, os suecos assumem a liderança de sua chave.

É difícil prever quão longa será a vida do Östersunds na Liga Europa. O Zorya Luhansk, em teoria, é seu adversário mais fraco. Hertha Berlim e Athletic Bilbao são os favoritos no Grupo J, e fizeram bom jogo no Estádio Olímpico de Berlim. Os dois times tiveram várias chances de marcar e os goleiros de ambos os lados se destacaram, mas o 0 a 0 prevaleceu no placar – favorecendo os bascos, que tomaram mais de pressão no segundo tempo e voltam para casa com um ponto importante. De qualquer forma, por aquilo que já aprontaram contra Galatasaray e Paok, os suecos não devem ser descartados. A história já fascinante pode ser ainda melhor.