Os Estados Unidos entram na reta final das Eliminatórias da Copa em uma situação bem delicada. O US Team ocupa a quarta posição na tabela, que dá acesso à repescagem. Está um ponto atrás do Panamá e à frente de Honduras apenas por conta do saldo de gols, com os mesmos nove pontos. E, acredite, o cenário poderia ser muito pior. Afinal, a equipe de Bruce Arena deu sorte ao visitar os hondurenhos em San Pedro Tula nesta terça. Os anfitriões fizeram uma exibição incomparavelmente melhor. Todavia, os americanos acharam um gol já aos 40 do segundo tempo, que decretou o empate por 1 a 1 e melhorou suas perspectivas.

Bruce Arena realizou seis mudanças no time em relação à derrota para a Costa Rica, mas as expectativas ainda assim não pareciam boas, com opções bastante contestáveis – como, por exemplo, apostar no veterano DaMarcus Beasley para dar dinamismo pelos lados. Não à toa, Honduras era bem mais efetiva e conseguiu abrir o placar aos 27 minutos. Lançado na ponta direita, Romell Quioto passou por Omar González e chutou cruzado, vencendo Brad Guzan. O US Team se desesperava em busca do empate, mas era praticamente nulo no ataque. Acabou contando com um lance fortuito, graças a Bobby Wood, que saiu do banco. Após cobrança de bola no travessão, a bola pipocou na área, até que o havaiano mandasse para dentro. Não mereciam o tento, mas respiraram aliviados.

Ocupando a terceira colocação, o Panamá fez sua parte e não tomou conhecimento do lanterna Trinidad e Tobago. Vitória por 3 a 0 na Cidade do Panamá, com destaque para o golaço de Gabriel Torres para abrir o placar: ele recebeu ainda no campo de defesa, deu um chapéu no primeiro marcador, um drible da vaca no segundo e, em disparada, percorreu cerca de 70 metros para fuzilar o goleiro, finalizando a sua pintura. Carlyle Mitchell (contra) e Abdiel Arroyo completaram a fatura para os panamenhos.

Já no jogo que poderia confirmar o segundo classificado da Concacaf à Copa do Mundo, a Costa Rica ficou no quase. Não saiu do empate por 1 a 1 com o México, em San José. Foi um jogo agradável de se ver, com os dois times partindo para cima e criando ocasiões. Guillermo Ochoa e principalmente Keylor Navas viviam noites inspiradas. Os mexicanos saíram na frente graças a um lance de azar dos anfitriões, com Cristian Gamboa mandando contra o próprio patrimônio após defesaça de Navas, aos 42 minutos. Ainda assim, os costarriquenhos não entregaram os pontos e buscaram o empate aos 38 do segundo tempo, com Marco Ureña acertando um chutaço da entrada da área. Pressionando, os Ticos poderiam até mesmo ter virado, mas uma bola na trave já nos acréscimos negou a classificação antecipada.

Enquanto o México tem o passaporte carimbado, a Costa Rica soma cinco de vantagem sobre o Panamá, dependendo apenas de um empate nas duas últimas rodadas para assegurar seu lugar na Rússia. Enquanto isso, a briga pela outra vaga direta e pela repescagem será intensa. Estados Unidos e Panamá farão uma verdadeira decisão na próxima rodada, se enfrentando em Orlando, enquanto Honduras visita os Ticos. Já nos compromissos finais, os americanos ao menos têm a maior moleza, viajando a Trinidad e Tobago, enquanto panamenhos e hondurenhos pegam Costa Rica e México, respectivamente.