Abdelhak Nouri era uma promessa holandesa. Prometia ser um grande jogador de futebol. Marcar gols, dar assistências, ganhar títulos. Defender o Ajax e a seleção em grandes competições. Aos 20 anos, estava prestes a começar o que ele torcia para ser a sua temporada de afirmação. Disputava um amistoso de pré-temporada contra o Werder Bremen, na Áustria, quando caiu no gramado E assim, em um segundo, em um milésimo de segundo, tudo o que Abdelhak Nouri poderia ter sido desapareceu.

LEIA MAIS: Seleção feminina holandesa: agora é que são elas

Nouri teve arritmias cardíacas durante a partida e desmaiou. Foi carregado de helicóptero para um hospital na Áustria. As primeiras notícias eram boas: coração batendo normalmente, nenhuma anomalia no cérebro. No entanto, novos testes mostraram que ele sofreu danos cerebrais sérios e permanentes. Segundo o Ajax, as chances de recuperar funções cerebrais cruciais são nulas. O motivo é provavelmente o tempo em que o cérebro de Nouri ficou sem receber oxigênio.

Nascido em Amsterdã, mas de origem marroquina, Abdhelhak Nouri passou a carreira inteira no Ajax. Subiu pela conceituada academia holandesa, ao mesmo tempo em que defendeu todas as seleções de base do país, e estava prestes a se firmar no time principal. Fez 15 partidas sob o comando de Peter Bosz na última temporada, com um gol marcado, contra o Willem II, na Copa da Holanda. Seu único gol marcado, seu último gol marcado. Brilhou na equipe B do Ajax. Recebeu a Bola de Ouro de melhor jogador da segunda divisão.

Foi retratado pelo site holandês Parool como uma pessoa que gosta de piadas e que estava feliz por compartilhar a pré-temporada com Klaas-Jan Huntelaar, um dos seus ídolos. Tinha um sonho específico: gostaria de ser capitão do Ajax. “Eu realmente adoraria. Eu sei como me comportar, a responsabilidade e a pressão. Eu tenho a disciplina necessária”, afirmou. Quando retornava para casa, mesmo como um importante jogador do maior clube da cidade, ainda batia bola com a garotada na rua. “Mesmo ano passado, quando ele estava tão ocupado no Ajax. Ele nos ensinou truques e nos disse para sempre ouvirmos atentamente nossos pais e o treinador”, disse um menino de 12 anos que brincava com Nouri.

A família agarra-se à fé neste momento complicado. Sabe que as chances de recuperação são quase nulas, mas pede que as preces continuem. “Quando ele acorda, não pode pensar, comer, falar, andar, provavelmente nem mesmo reconhece alguém. Mas não desistimos. Acreditamos em Deus”, disse o irmão Abderrahim, ao AD. E o que não falta é apoio: jogadores, como Van Basten, Van Persie e Van Nistelrooy, e clubes holandeses publicaram mensagens de solidariedade nas redes sociais, colocando-se ao lado de Nouri e de seus entes queridos.

Edwin van der Sar, executivo do Ajax, ficou chocado. “Esta é a pior notícia possível. É terrível. Nos sentimos muito pelos seus parentes. O golpe é muito forte ao Ajax, embora soubéssemos que teríamos que considerar este cenário. Houve dias de incerteza e muitas pessoas simpatizaram com nossa situação. Agradecemos. Abdelhak tinha tanto talento, mas, infelizmente, nunca saberemos o quão alto sua estrela poderia chegar se isso não tivesse acontecido com ele”, afirmou o ex-goleiro.