A seleção de Gibraltar pode ser considerada o maior saco de pancadas do futebol europeu na atualidade. Desde que a nação passou a integrar a Uefa, nas eliminatórias da Euro 2016, acumulou 19 derrotas em 19 partidas oficiais. Mesmo San Marino, Andorra e Liechtenstein, tradicionais humilhados nas competições continentais, conseguiram arrancar seus pontinhos no período. E os gibraltarinos precisaram aguardar três anos de sua oficialização para conquistar a primeira vitória oficial. Mas não no nível principal. Nesta terça, a seleção sub-21 conquistou a façanha, pelas eliminatórias do Campeonato Europeu da categoria.

Desde que se filiou à Uefa, em 2013, Gibraltar também figura nas competições de base do continente. Porém, no máximo, havia arrancado um empate nas eliminatórias do Europeu Sub-17 e outra no Sub-19 – contra Liechtenstein e Ilhas Faroe, o que não torna o feito tão honroso assim. Já a estreia no sub-21 aconteceu em junho, no qualificatório para a edição de 2019 do torneio. Durante as rodadas anteriores, os gibraltarinos acumularam cinco derrotas em cinco jogos, com 14 gols sofridos e nenhum marcado. Na partida anterior, todavia, haviam perdido apenas por 1 a 0 da Armênia na visita a Yerevan, em gol proporcionado por um pênalti controverso. A glória veio nesta terça, depois de 46 derrotas em 48 jogos somando todas as categorias.

Diante das arquibancadas desertas no Estádio Algarve, em Portugal, onde tem mandado os seus jogos, Gibraltar recebia a Macedônia. E não era um adversário qualquer: os macedônios participaram da fase final do Europeu Sub-21 de 2017, disputado no último mês de junho, chegando a eliminar a França nas preliminares e a segurar um empate com a Sérvia. Parte da base presente na competição permanece no elenco, com destaque para o camisa 10 Tihomir Kostadinov. Justamente estes caíram para Gibraltar.

Meio-campista do Mons Calpe e capitão de sua seleção, Graeme Torilla anotou o gol histórico para os gibraltarinos, aos 19 do segundo tempo. Foi a única finalização no gol de sua equipe durante os 90 minutos. Enquanto isso, o goleiro Bradley Banda salvou a pátria, com oito defesas, elogiado por sua atuação espetacular. Difícil dizer o quão rara será esta vitória para Gibraltar. Pelo menos a nova geração dá alguma esperança de um resultado que não seja goleada nas próximas participações da seleção adulta.