Esta nova geração belga tem empolgado e criado bastante repercussão em toda a imprensa. Jovens como Thibaut Courtois, Romelu Lukaku, Eden Hazard e Christian Benteke vêm se destacando em seus times, e a expectativa para uma boa Copa do Mundo por parte da Bélgica é grande. O que pouca gente sabe é que já tem um pessoal pensando na novíssima geração belga. O Racing Boxberg contratou um bebê de apenas 20 meses. Isso mesmo, Bryce Brites, um garoto de 20 meses, assinou o que é provavelmente o contrato mais precoce da história do futebol.

Mas como um clube poderia contratar uma criança que sequer completou dois anos? O que eles puderam ver para que soubessem que valeria a pena contratar Brites? Simples: o garoto pegou uma bola e conseguiu driblar cones naquele clássico exercício de treinamento. Dany Vodnik, secretário do clube, ficou impressionado com o desempenho de Brites: “Ele chuta a bola de uma maneira que você não vê nem em garotos de quatro ou cinco anos. Seu controle de bola é impressionante para sua idade. A maneira como ele dribla entre os cones, conseguindo dar toques para a direita ou para esquerda. Você pede para ele chutar uma bola a três ou cinco metros e ele consegue. Mas ele não jogará com os jogadores de cinco e seis anos ainda. Precisamos nos manter cuidadosos”.

De fato, pela descrição feita por Vodnik, Brites leva muito jeito para a coisa. Ainda assim, 20 meses? É sério mesmo? Nem Arsène Wenger iria tão longe para contratar uma jovem promessa. De qualquer forma, a Bélgica pode ficar tranquila, porque se essa geração belga é tão elogiada, a de daqui a 20 anos já tem um expoente bastante promissor.