“Agüero e Gabriel Jesus não podem jogar juntos.” Sério? Hora de começar a rever conceitos, diante do que se viu do Manchester City em Vicarage Road, contra o Watford, pela quinta rodada do Campeonato Inglês. Sabendo alternar posições, ambos se destacaram no ataque – principalmente o argentino, que fez três gols pela sexta vez em sua carreira na Premier League. O meio-campo do City ainda exibiu a velocidade ofensiva promissora já indicada contra o Feyenoord, pela Liga dos Campeões. Resultado: um 6 a 0 para não deixar dúvidas de que o time está nos eixos nesta temporada, pronto para disputar os títulos que se esperam.

Houve até alternância de destaques no meio-campo. O primeiro foi Fernandinho. Aos seis minutos do primeiro tempo, o meio-campista brasileiro cabeceou por cima do gol de Gomes. Aos nove, Kevin de Bruyne cruzou, Raheem Sterling furou, e a jogada só não se perdeu porque Fernandinho chegou chutando forte, para a defesa de Gomes. A partir daí, foi a vez do meio-campista belga tomar o controle: aos 11, De Bruyne tabelou com David Silva, recebeu de volta e bateu da meia-lua, para fora. Faltavam os atacantes aparecerem? Pois começaram aos 20: em cobrança de escanteio, a bola foi escorada por Fernandinho, e sobrou para Sergio Agüero dar um voleio, que passou rente à trave esquerda de Gomes.

A única réstia de esperança que o Watford teve diante de sua torcida foi aos 24, quando José Cholevas cobrou falta para a área e Richarlison chegou cabeceando, mandando a bola rente à trave de Ederson. Mas a sensação geral era de que o gol do City demorava demais a sair. Veio, enfim, aos 27: em cobrança de falta ensaiada, De Bruyne mandou da esquerda, e Agüero cabeceou no canto esquerdo de Gomes (que saiu mal do gol) para o previsível 1 a 0.

Placar aberto, havia começado a exibição. Para não mais parar: já aos 31, o City fez 2 a 0. Dessa vez, David Silva passou, e Agüero, à queima-roupa e com o gol vazio, mandou para as redes. E se Agüero marcara o gol das duas primeiras vezes, na terceira preferiu o passe: aos 38, dominou perto da área e, em profundidade, lançou Gabriel Jesus. A posição do brasileiro era duvidosa, mas nada foi marcado, e Gabriel chutou cruzado, no contrapé de Gomes, para o 3 a 0.

Vitória garantida já na etapa inicial, era hora de transformá-la em goleada. Para isso serviu o segundo tempo do Manchester City. Aos 18 minutos, um coadjuvante ganhou seu momento: David Silva cruzou para o cabeceio preciso de Nicolás Otamendi rumo ao 4 a 0. No quinto gol, já aos 36 minutos, apareceu o destaque definitivo da grande atuação dos visitantes: Agüero partiu pela direita, driblou três e tocou na saída de Gomes para fazer seu terceiro gol – sexto “hat-trick” dele em sua trajetória no Campeonato Inglês. Em meio aos gols, mais uma celebração: a volta de Ilkay Gündogan ao campo com bola rolando para valer, após recuperação de lesão.

Ainda houve tempo para o sexto, aos 43: Christian Kabasele derrubou Raheem Sterling, e o camisa 7 ganhou o prêmio pelo esforço: o direito de cobrar, fechando a goleada. E dando duas impressões. A primeira: sim, Agüero e Gabriel Jesus estão se entendendo em campo. Na “disputa” para ver quem está melhor, quem ganha é o time. A segunda: sim, após a temporada de adaptação, o Manchester City começa a engrenar.