A notícia principal é a Chapecoense. A Conmebol oficializou nesta segunda-feira o título da Copa Sul-Americana ao Verdão do Oeste, como já vinha sendo discutido nos últimos dias. Mais do que a taça, a Chape também ganha o direito de disputar a Copa Libertadores de 2017, assim como a Copa Suruga e a Recopa Sul-Americana. Esta, aliás, já promete um confronto marcante contra o Atlético Nacional, atual vencedor da Libertadores, no meio do ano. E os catarinenses também embolsam a premiação completa, algo importante neste momento para a reconstrução – de US$ 2 milhões pela conquista, além de US$ 2,8 milhões adicionais, como revela Martín Fernandez no Globo Esporte.

Entretanto, outro anúncio feito pela Conmebol nesta segunda também merece destaque. A entidade continental condecorará o Atlético Nacional, por toda a sua postura no episódio. Os verdolagas receberão o prêmio ‘Centenário Conmebol ao Fair Play’, em valor total de US$ 1 milhão. “Para a Conmebol, não há maior mostra do ‘espírito de paz, compreensão e jogo limpo’, enunciado como objetivo de nossa instituição, que a solidariedade, a consideração e o respeito exibidos pelo Atlético Nacional sobre seus irmãos da Chapecoense”, escreveu a confederação.

Desde o primeiro momento da tragédia, o Atlético Nacional ofereceu sua ajuda de maneira completamente altruísta. Participou das buscas e, por iniciativa própria, ofereceu a conquista à Chapecoense. Depois, ainda proporcionou tantas cenas marcantes, com a homenagem no Atanásio Girardot ou o mosaico da torcida durante o jogo do Clausura Colombiano. Nada mais justo que isso também seja reconhecido. É o que ajuda a tornar o futebol tão grandioso.