Klose no momento decisivo para marcar o gol da Alemanha (AP Photo/Frank Augstein)

Alemanha 2×2 Gana: Fortaleza é palco de um jogaço que embola o grupo G

A crônica

Quem não viu o primeiro tempo de Alemanha e Gana pode ter achado que a partida foi mais uma repetição de um roteiro comum na Copa: um time fechado contra um dos favoritos, que sofre para fazer valer a sua maior qualidade técnica. Mas embora o placar apontasse 0 a 0 no intervalo, Alemanha e Gana faziam uma partida interessante. Os alemães criaram boa chances, se movimentaram bem, e tiveram bons momentos. Os ganenses se defenderam bem, mostraram que são fortes fisicamente, e chegaram algumas vezes ao ataque. O 0 a 0 estava fadado a ser encerrado no segundo tempo. Seria o natural. E foi. O empate por 2 a 2 ficou até pouco pelo que acabou o jogo.

O Castelão viu um jogo cheio de gols na etapa final. A Alemanha achou um logo no início do segundo tempo, graças a Götze. Gana conseguiu a virada pouco tempo depois, aproveitando os problemas que os alemães apresentaram – desde o primeiro jogo, aliás, mas que Portugal não soube aproveitar. Um na lateral esquerda, onde jogou Höwedes, que não conseguiu marcar o cruzamento de Affu para o primeiro gol dos Estrelas Negras. E o segundo em uma falha de passe de Lahm e bobeira de Khedira, ambos muito mal no jogo, que resultaram no segundo gol. O meio-campo alemão, cantado em verso e prosa em tantas oportunidades, foi mal em campo, especialmente no segundo tempo.

O jogo era muito movimentado e os times, cada vez mais cansados, marcavam cada vez menos. Gana poderia ter ampliado o placar, mas perdeu a chance com Jordan Ayew, que foi muito fominha. Como muitas vezes acontece, faria falta. Gana mostrava, como no primeiro jogo, que embora tenha feito uma boa partida, acabou derrotado pelos Estados Unidos. E a Alemanha mostrava que embora tenha passado o carro sobre Portugal, nem sempre tudo funciona como o esperado. Nem todo dia há um time que dê os espaços como Portugal deu. E havia um time africano muito forte, literal e metaforicamente, disposto a suar muito em busca do resultado.

Com um elenco poderoso em mãos, Löw demorou para agir. Finalmente, colocou em campo Schweinsteiger – que não estava 100% fisicamente, mas com o jogo como estava, com a Alemanha perdendo, não poderia ficar fora – e Klose. Com dois minutos em campo, Klose empatou o jogo e chegou à marca de 15 gols em Copa, igualando Ronaldo. O jogo,  que já era bom, ficou ainda melhor. Gana teve uma nova chance em um contra-ataque, mas Badu, que teve a bola, demorou muito para fazer o passe e acabou encontrando o companheiro impedido.

Até o final, o jogo dava a impressão que sairia mais um gol, mas era impossível saber para que lado. Os alemães tiveram uma grande chance com Klose, que tocou para fora. O recorde ficou a poucos metros de ser batido, pouco depois de ter sido igualado.

Além de um jogaço, a partida mostrou que a Alemanha é um timaço, mas também tem muitos problemas. Deixou claro que Gana, mesmo perdendo o primeiro jogo, é um time duro, difícil de ser batido, e com alguns jogadores capazes de causar muitos problemas a qualquer defesa, como André Ayew. O jogaço só confirmou também que o Grupo G é um dos mais equilibrados da Copa e tem tudo para ser disputado até o final.

Gana terá pela frente a seleção de Portugal na última rodada, possivelmente com os dois times ainda brigando por classificação. A Alemanha terá Estados Unidos como adversário, que ainda tem um jogo duro com Portugal antes do confronto com os alemães. O jogo foi mais um exemplo de que a Copa do Mundo está sensacional. E que ter um time bom é ótimo, mas ganhar um jogo em Copa do Mundo envolve muito mais fatores do que as nossas análises são capazes de prever. É muita Copa do Mundo, amigo!

FICHA TÉCNICA

Alemanha 2×2 Gana

Alemanha

Alemanha escudoManuel Neuer; Jérôme Boateng (Shkodran Mustafi, intervalo), Per Mertesacker, Mats Hummels e Benedikt Höwedes; Philipp Lahm, Toni Kroos e Sami Khedira (Bastian Schweinsteiger, 25’/2T); Mesut Özil, Thomas Müller e Mario Götze (Miroslav Klose, 24’/2T). Técnico: Joachim Löw

Gana

Gana escudoFatau Dauda; Harrison Afful, John Boye, Jonathan Mensah e Kwadwo Asamoah; Mohammed Rabiu (Emmanuel Badu, 32’/2T) e Sulley Muntari; Christian Atsu (Mubarak Wakaso, 26’/2T), Kevin-Prince Boateng (Jordan Ayew, 9’/2T) e André Ayew; Asamoah Gyan. Técnico: James Appiah

Local: Arena Castelão, em Fortaleza
Árbitro: Sandro Meira Ricci (BRA)
Gols: Götze, 6’/2T, André Ayew, 9’/2T, Gyan, 8’/2T, Klose, 26’/2T
Cartões amarelos: Sulley Muntari
Cartões vermelhos: nenhum

O cara

André Ayew
André Ayew foi destaque de Gana (AP Photo/Themba Hadebe)

André Ayew foi destaque de Gana (AP Photo/Themba Hadebe)

O atacante de Gana foi destaque no jogo. Marcou o primeiro gol ganense de cabeça, mas também causou problemas à defesa alemã. É um jogador com força, velocidade e habilidade. A defesa alemã, especialmente Höwedes e Hummels, teve que suar demais para marcar o camisa 10 dos Estrelas Negras. O jogador do Olympique de Marseille marcou o seu segundo gol nesta Copa do Mundo e mostra que tem muito futebol a oferecer.

Os gols

6’/2T: GOL DA ALEMANHA!

Khedira fez o cruzamento da direita para Götze, que, de olhos fechados, cabeceou no próprio joelho para marcar o gol alemão.

9’/2T: GOL DE GANA!

Cruzamento do lateral direito Afful para André Ayew subir no meio da zaga e mandar de cabeça no canto do goleiro Neuer e empatar o jogo.

18’/2T: GOL DE GANA!

Lahm errou o passe, Khedira perdeu a bola, Muntari passou para Gyan recebeu dentro da área e o atacante bateu cruzado para virar o jogo.

26’/2T: GOL DA ALEMANHA!

Depois de cobrança de escanteio do lado direito, Höwedes desviou de cabeça e Klose, quase na linha do gol, completa para empatar o jogo e igualar o recorde de Ronaldo como maior artilheiro em Copas do Mundo.

Klose comemora o seu 15º gol em Copas do Mundo, contra Gana (AP Photo/Francois Xavier Marit)

Klose comemora o seu 15º gol em Copas do Mundo, contra Gana (AP Photo/Francois Xavier Marit)

A Tática

Alemanha x Gana

Joachim Löw insistiu na formação sem um armador, com Özil jogando mais pelos lados, assim como Götze, que ficou mais como atacante. Müller seguiu como centroavante, com Kroos e Khedira chegando à frente. Os laterais, dois zagueiros de origem, guardaram posição. Já Gana se defendia com vigor impressionante. Sem a bola, todo mundo marcava – exceção de Gyan, que só cercava – e chegou a fazer duas linhas de quatro atrás. Com a bola, se convertia em um 4-2-3-1 com transição rápida, chegando com força ao ataque.

A Estatística

20

Chutes a gol de Gana no jogo. Mesmo com menos posse de bola (41% a 59%), os ganenses arriscaram mais a gol. Faltou aos alemães tentarem converter a posse de bola em mais chances efetivas. Gana mostrou que sim, tem poderio ofensivo para encarar jogos grandes, mesmo quando não é favorita.