O título não veio. Entretanto, nenhuma equipe proporcionou tantas histórias deliciosas quanto o Guarani nesta Série C. Em campo, os bugrinos protagonizaram duas grandes viradas, diante do ASA de Arapiraca e principalmente contra o ABC. Contaram com a dedicação de Fumagalli, craque do time aos 39 anos, e a fé de Marcelo Chamusca, que finalmente conquistou o acesso após duas frustrações com o Fortaleza. Já do lado de fora, a torcida alviverde também merece o devido reconhecimento. Comemorou o retorno à Série B, não desistiu do time quando a classificação à final parecia impossível e encheu o Brinco de Ouro. Tudo com a ajuda de alguns dos maiores ídolos da história do clube.

VEJA TAMBÉM: Gênesis garantiu, nos últimos suspiros, o sufocante acesso do Boa Esporte

Durante o jogo decisivo contra o ASA, Careca se integrou à massa bugrina nas arquibancadas. Além dele, Amoroso e Evair se tornaram figurinhas carimbadas no estádio. Pois os dois não abandonaram o time nem mesmo na viagem à Varginha, para o segundo jogo da final contra o Boa Esporte. Amoroso se misturou até mesmo ao povão na concentração para ir ao Estádio Melão, compartilhando a caminhada e a cerveja. Juntou-se às centenas de fanáticos pelo Guarani que foram ao sul de Minas em busca do sonho.

Dentro de campo, porém, o Guarani não ajudou. Após buscar o empate por 1 a 1 em Campinas, o Boa Esporte precisou de apenas 13 minutos para encaminhar a vitória por 3 a 0. Braian Samúdio abriu o placar em belo chute de primeira, enquanto Felipe Matheus ampliou batendo de fora da área. O Bugre não teve poder de reação e ainda foi prejudicado pela arbitragem. Aos 17 do segundo tempo, o zagueiro Ferreira foi expulso depois que Rodolfo encenou de maneira vergonhosa uma cotovelada. O camisa 3 se descontrolou, empurrou o árbitro e um companheiro, retirado de campo apenas à força. Já nos acréscimos, Kaio Cristian fechou o placar.

Ao final, prevaleceu a festa da população de Varginha que compareceu ao Melão. Depois de perderem a final da Série C em 2010 para o ABC, quando ainda atuavam como Ituiutaba, os mineiros dão a volta por cima e retornam à segunda divisão com o moral elevado. Nada tira, entretanto, também os méritos do Guarani. A Terceirona sempre termina com um campeão, mas quatro vencedores. E o brilho dos bugrinos é evidente, seja por seus feitos em campo, seja pelo engajamento de sua torcida.

PS: Caso você não tenha reparado, o rapaz ao lado de Evair e Amoroso na foto acima é Júnior, filho de Zico. Ele se tornou torcedor do Bugre em 1986, por um fato curioso: o Guarani eliminou o Vasco nas oitavas de final do Brasileiro daquele ano. Com a queda do Flamengo na mesma fase, para o Atlético Mineiro, o garoto passou a acompanhar os campineiros e virou fanático.