Ancelotti, técnico do Real Madrid (Foto: AP)

Ancelotti foi de “retranqueiro” a maior vencedor da Liga dos Campeões

Em algum momento da sua vitoriosa carreira, Carlo Ancelotti ganhou fama de retranqueiro, o que para muitas pessoas é sinônimo de treinador limitado. Foi entre a metade e o final da sua passagem pelo Milan, de 2001 a 2009, quando não tinha muito material com o qual trabalhar mesmo. Depois de passagens por Inglaterra, França e agora Espanha, foi construindo para si um rótulo muito mais honroso e condizente com a sua qualidade como treinador: é o maior vencedor da Liga dos Campeões.

>>> La décima finalmente chegou, e quem vai dizer que todo aquele dinheiro não valeu a pena?

Apenas outro treinador tem três títulos da principal competição europeia de clubes. É o inglês Bob Paisley, que conquistou as edições de 1977, 1978 e 1981 com o Liverpool. Ancelotti, por sua vez, foi campeão com dois times diferentes: o Milan, em 2003 e 2007, e com o Real Madrid, no último sábado. Ele é apenas o quinto a conseguir isso, ao lado de Ernst Happel, Ottmar Hitzfeld, José Mourinho e Jupp Heynckes.

Ancelotti não chegou a esse patamar sem méritos. Além de conseguir encaixar os talentos do Real Madrid, administrar um grupo de jogadores caros e formar a equipe no dia a dia, foi essencial nas duas eliminatórias mais importantes do clube espanhol. Na semifinal, deu um baile tático em Pep Guardiola. Anulou toda a virtuose do Bayern de Munique que quebrou recorde atrás de recorde na Alemanha e posicionou o contra-ataque para matá-lo aos poucos, com um gol atrás do outro. Venceu por 5 a 0 no placar agregado.

Contra o Atlético de Madrid, também teve grande influência. Arriscou com Sami Khedira de titular, apesar de o volante alemão ainda estar com forma física deficitária. Sem Xabi Alonso, preferiu a sua experiência à juventudo de Illarramendi contra o forte meio-campo colchonero. Não funcionou muito bem, e ele foi ousado na hora da mudar. No segundo tempo, colocou Isco em seu lugar, recuou Luka Modric para armar a equipe desde a parte de trás e passou a controlar o jogo. Pressionou ainda mais o Atlético e eventualmente conseguiu o empate e a vitória.

Carlo Ancelotti foi campeão francês com o melhor ataque, inglês com mais de 100 gols e ninguém, nem o Barcelona, fez mais gols que o seu Real Madrid no último Campeonato Espanhol. Conquistou títulos em quatro países diferentes e tem três títulos europeus. Nada mal para um retranqueiro.

Nossa cobertura da final da Liga dos Campeões foi assim:

 >>> Contra um time que era puro coração, o Real Madrid também teve que mostrar o seu
>>>> A derrota dói na pele, mas não diminui a alma deste grande Atlético de Madrid
>>>> O álbum de fotos da campanha que levou o Real Madrid a “La Décima”
>>>> O direito de entrar para a história está em jogo no maior dérbi de Madri