0102 NIGERIA V ITALY

No aniversário de Baggio, esqueça aquele pênalti e se lembre como ele era genial

Um mísero lance pode marcar um jogador pelo resto da carreira. Para o bem e para o mal. Muita gente só se lembra de Roberto Baggio pelo pênalti perdido na final da Copa de 1994. Natural. Foi o lance mais decisivo de sua carreira, mandado a bola às nuvens de Los Angeles. Ainda assim, lembrar-se apenas desse lance para definir o italiano é um grande sacrilégio. Il Divin’ Codino não tinha apenas o rabo de cavalo abençoado. Seus pés também eram. Baggio era um verdadeiro maestro, um craque cerebral. Não teve a Copa do Mundo, nem grandes títulos. Mas foi um dos camisas 10 mais completos que o futebol já teve.

Baggio não foi eleito o melhor jogador do mundo em 1993 pela Bola de Ouro, pela Fifa e pela World Soccer à toa. Ninguém atua por Juventus, Milan e Internazionale ou defende a Itália em três Mundiais sem ser um grande jogador. O meia tinha um estilo único para driblar, para bater faltas, para deslocar o goleiro, para deixar os companheiros na cara do gol. E em todas essas habilidades se aproximava da perfeição. Por mais que aquele pênalti diante de Taffarel diga tudo ao contrário.

Nesta terça-feira, Baggio completa 47 anos. E homenageamos o craque italiano com um compilado de seus melhores lances: