Os jogadores de Genoa e Cagliari já estavam em campo, se aquecendo para a partida que abriria a rodada de domingo na Serie A, quando a notícia repentina chegou ao gramado do Estádio Luigi Ferraris. Davide Astori, capitão da Fiorentina, faleceu durante a madrugada em seu hotel, quando se preparava para, assim como eles, desempenhar seu ofício em Udine. A perplexidade, obviamente, tomou conta dos colegas. O zagueiro havia sido companheiros de alguns deles e vestiu a camisa do próprio Cagliari ao longo de seis anos. A princípio, sem uma decisão da liga, os oficiais envolvidos no jogo de Gênova optaram por adiar o pontapé inicial. E neste sentido, antes que a organização da Serie A confirmasse o cancelamento da rodada, um nobre gesto de respeito foi protagonizado pelos capitães Milan e Internazionale, em história revelada pelo Corriere della Sera.

A repercussão da tragédia, obviamente, aconteceu bem mais rapidamente do que a tomada de decisões. E assim que souberam da perda de Astori, os capitães envolvidos no principal jogo de domingo conversaram entre si. Leonardo Bonucci ligou para Andrea Ranocchia – vice-capitão da Inter, mas dono da braçadeira nos últimos compromissos dos nerazzurri, diante da ausência de Mauro Icardi. Juntos, combinaram unir seus esforços para que o Dérbi della Madonnina não acontecesse, independentemente de qual fosse a decisão da liga.

Ao final, o bom senso prevaleceu, tanto em tributo a Astori quanto por compreensão sobre o estado emocional dos jogadores. Vale lembrar que Bonucci e Ranocchia foram companheiros do capitão da Fiorentina na seleção italiana, assim como o zagueiro falecido foi formado nas categorias de base do próprio Milan. Pelos azzurri, ele disputou 14 partidas, reserva na Copa das Confederações de 2013 – quando anotou seu único gol, na decisão do terceiro lugar, contra o Uruguai. Além disso, vinha sendo mantido no elenco por Giampiero Ventura durante o atual ciclo da equipe nacional. Do banco, viu a queda para a Suécia na repescagem das Eliminatórias.

Em suas redes sociais, Bonucci escreveu uma bonita mensagem em homenagem a Astori: “Adeus, grande Asto. Era assim que eu te chamava quando nós nos encontrávamos, para um jogo como oponentes ou como companheiros pela seleção. Um sorriso, um abraço – daqueles verdadeiros. Uma pessoa que era justa, honesta e humilde. Quantas vezes gargalhamos, brincamos e comemoramos juntos. Quantas conversas na mesa ou nos corredores de Coverciano, em campo, nos quartos. ‘Vamos, Leo, dê um lançamento que apenas você sabe como’ era o que repetia a mim durante os treinos táticos. Com esse sorriso que nunca acabava e que deixava muito claro quanta bondade havia em você. Você foi jogar futebol lá em cima e fará com o mesmo grande sorriso. O sorriso que você sempre teve”.

O caráter e a personalidade aberta de Astori, aliás, são unanimidade dentro das seguidas despedidas nestas últimas horas. Muitos antigos companheiros e pessoas próximas exaltam a alegria de ser do capitão, a sua generosidade, a sua afabilidade. Segundo o presidente da Fiorentina, Andrea della Valle, o jogador iria assinar um novo contrato com a Fiorentina nesta segunda-feira. Vislumbrava encerrar a sua carreira no Artemio Francchi, pelo clube no qual chegou em 2015, mas criara uma forte ligação desde então – atravessando um dos melhores momentos de sua carreira.

“Ele era um ponto de referência para todo o time. Passamos meia hora conversando após o jogo sobre o Bologna, e ele me falava sobre o projeto, os novos rapazes. Parecia pronto para se tornar um grande técnico ou um diretor esportivo. Tenho orgulho de tê-lo conhecido. Ele foi o primeiro a acreditar na reconstrução do clube e sempre sentiremos sua falta. Era um capitão de verdade”, falou o dirigente.

Nesta segunda, o rosto de Astori dominou as capas dos jornais italianos, com diversas homenagens ao defensor. A autópsia do zagueiro acontecerá nesta terça. Na quarta, seu corpo será velado em Coverciano, base da seleção italiana, e a cerimônia deve contar com a presença de antigos companheiros. Já na quinta, as despedidas acontecem na Basílica de Santa Cruz, em Florença. A Uefa confirmou que os jogos da semana pela Liga dos Campeões e pela Liga Europa respeitarão um minuto de silêncio.