Manduzkic (centro) marcou dois gols e é o artilheiro da Bundesliga com 16 gols (Foto: AP)

Ao menos em um aspecto, o Bayern de Guardiola igualou seu melhor momento no Barcelona

O Bayern de Munique de Pep Guardiola alcançou uma marca bastante simbólica neste sábado. Ao destroçar o Wolfsburg na casa do adversário por impressionantes 6 a 1, o time chegou a 16 vitórias consecutivas na Bundesliga. Um recorde que chama tanta atenção quanto o futebol que o time apresenta. Coincidentemente, iguala a melhor marca do Barcelona de Guardiola, que conseguiu também 16 vitórias consecutivas na temporada 2010/11 – aquela dos quatro clássicos com o Real Madrid, incluindo dois nas semifinais da Liga dos Campeões.

O jogo contra o Wolfsburg neste sábado tinha cara de tropeço. Um daqueles tropeços comuns, nada que prejudicaria a briga pelo título, mas um tropeço. No intervalo, o jogo estava 1 a 1. Só que tinha todo o segundo tempo, tinha Mario Mandzukic, Thomas Müller e um futebol destruidor, que deixaria até os adversários em campo atordoados. Parecia que nem eles mesmos acreditavam que estavam sendo massacrados do jeito que foram.

Para entender um pouco melhor a surpresa dos jogadores do Wolfsburg: Naldo abriu o placar para o time da casa aos 17 minutos do primeiro tempo e Xherdan Shaqiri empatou aos 26. No segundo tempo, veio a virada aos 18 minutos, com Thomas Müller. Até aí, normal. Só que três minutos depois, Mandzukic marcou mais um. E aí veio uma enxurrada. Ribéry, aos 26, Müller de novo aos 33 e Mandzukic, outra vez, aos 35.

Para ilustrar um pouco do que foi o jogo, o Bayern teve 68% de posse de bola, algo até esperado para os times de Guardiola. Foram 18 chutes a gol do time bávaro, com 12 deles acertando o alvo – ou seja, metade dos chutes certos do time virou gol. Já o Wolfsburg chutou 12 vezes a gol, mas só três certas.

O Bayern vai consolidando sua força no cenário alemão a cada rodada. O título, neste momento, é uma mera formalidade. Com um jogo a mais, já que o Dortmund só irá a campo no domingo, o Bayern tem 23 pontos de vantagem. Na pior das hipóteses para o time bávaro, a diferença cairá para 20. São dez jogos para o fim da Bundesliga. Ou seja: a taça ficará com o time de Guardiola mesmo.

Outro dado interessante é que Mandzukic, com os dois gols, chega à marca de um gol a cada 72 minutos que esteve em campo na Bundesliga. Lewandowski, do Dortmund e já contratado pelo Bayern para a próxima temporada, tem um gol a cada 85 minutos. O croata é o artilheiro da Bundesliga com 16 gols contra 15 de Lewandowski, mas o polonês terá a chance de igualar se marcar neste domingo. Vale também a estatística que Mandzukic fez 16 gols com a bola rolando, enquanto Lewandowski marcou quatro gols de pênalti. Não é nada mau ser centroavante no time massacrante do Bayern.

O Arsenal que se cuide. Esse Bayern é assustador e o jogo de volta das oitavas de final da Liga dos Campeões, nesta semana, será na Allianz Arena, com o time alemão com uma vantagem de 2 a 0 no jogo de ida. É para ficar com as barbas de molho. Segurar esse time é talvez a missão mais ingrata no futebol europeu atualmente.