Uma montanha russa. A figura de linguagem com o brinquedo de parque de diversões é chavão, mas talvez seja a melhor maneira de definir a temporada do Arsenal. Do temor de um ano desastroso à esperança de reconquistar a Liga dos Campeões. E, disso, ao risco de não ir à Liga dos Campeões. Por enquanto, o carrinho pilotado por Arsène Wenger parece longe dos loopings, com o objetivo de estacionar na quarta colocação da Premier League e ficar com o título da Copa da Inglaterra. O resultado deste domingo, contra o Hull City, serviu para dar essa tranquilidade à torcida.

>>> Chegou a hora de Arsene Wenger deixar o Arsenal

Afinal, os 3 a 0 fora de casa serviram não apenas para manter os Gunners na zona de classificação da Champions. Foi justamente a prévia da decisão da FA Cup, com a diferença de que a torcida no Estádio KC ainda estava do lado dos Tigers – o que não deve acontecer em maio, no Wembley. Tranquilidade total para o Arsenal, que contou com a volta de um Aaron Ramsey decisivo, que fez muita falta durante a queda do time na tabela. O galês fez um dos gols da equipe, que ainda contou com dois de Lukas Podolski, assumindo um protagonismo que nem sempre lhe foi comum nessa sua passagem por Londres.

Obviamente, a postura do Hull City na final da Copa da Inglaterra não será a de uma mera rodada da Premier League. Será o jogo mais importante da história do clube, a chance de conquistar seu maior título. E com o exemplo do Wigan na última temporada, que surpreendeu o Manchester City em Wembley. O relaxamento visível na partida deste domingo não deverá se repetir na decisão.

Em compensação, a fome do Arsenal também deverá ser grande. É a taça que teima em fugir da sala de troféus do clube desde 2005, um alento diante da frustração vivida nas últimas semanas. Uma forma de Wenger tentar justificar, ao menos de alguma forma, sua permanência à frente dos Gunners. O primeiro encontro dá calma aos londrinos. Eles só não podem esquecer que, às vezes, uma reta tranquila de montanha russa se torna uma enorme queda. Manter o controle da situação será essencial para uma nova vertigem.

Leia também

>>>  O Arsenal ainda pode quebrar o jejum de títulos por causa de Fabianski

>>> Cazorla é o mais novo Gunner a falar da falta de mentalidade vencedora do Arsenal

>>> O Liverpool ficou a sete pontos de sua grande ambição e, de novo, graças a Sterling