Um dos mais experientes, ao mesmo tempo que tem um número de jogos de novato. Jamie Vardy é um dos melhores atacantes da Premier League, causando um impacto enorme desde a temporada mágica do título do Leicester em 2015/16. Estabelecido na seleção inglesa, ele quer completar o sonho de ir de um time semi-profissional para a Copa do Mundo. O sonho pode ser completado na Copa 2018, na Rússia.

LEIA TAMBÉM: A jovem Inglaterra classifica-se para a Rússia, ainda precisando amadurecer bastante

A missão de Vardy não é fácil, já que Harry Kane é, talvez, o centroavante em melhor fase no mundo. A lesão do jogador do Tottenham abre espaço para que Vardy, que vem sendo reserva na seleção inglesa, ganhe o espaço no time titular do atual técnico, Gareth Southgate.

Vardy tinha 28 anos quando estreou pela seleção inglesa. Começou em um clube chamado non-league, que são os times fora das quatro primeiras divisões da Inglaterra: Premier League (1ª divisão), Championship (2ª), League One (3ª) e League Two (4ª). Abaixo disso, os times são chamados de non-league.

Por tudo isso, para alguém como Vardy, amistosos de seleção nunca são pouco importantes. Para ele, o incentivo de buscar por um lugar no elenco inglês na Copa do Mundo é “enorme”. Em janeiro, Vardy fará 31 anos. E embora vá ultrapassar a barreira dos 30 anos em 2018, ele não pensa muito à frente e em aposentadoria da seleção.

“Se eu pensar muito à frente, eu irei esquecer algo. “É provavelmente um bom trabalho que eu me sinta como se tivesse 21 anos. Se eu sentisse a idade que tenho, eu estarei com as pernas mais cansadas”, afirmou Vardy.

A estratégia dele é descansar bastante em casa, o tanto que for possível. “Isso nem sempre funciona com as crianças correndo muito”, brinca Vardy. Além do descanso, o atacante diz que faz sessões de hidromassagem na piscina, além de usar a câmara de criogenia do Leicester City no processo.

Vardy não jogou os últimos dois jogos da Inglaterra nas Eliminatórias, cortado por lesão. Ele só jogou 20 minutos pela Inglaterra nesta temporada, entrando no segundo tempo do jogo contra Malta, em setembro. Voltará a campo contra a Alemanha, seleção que ele marcou o seu primeiro gol pela Inglaterra, em março de 2016

“Nathaniel Clyne cruzou atrás de mim e eu dei um calcanhar esperando fazer a conexão e eu acho que foi a melhor conexão que eu poderia esperar, e por sorte a bola entrou”, declarou o jogador à BBC.

Depois desse primeiro gol, ele já marcou outras duas vezes jogando em Wembley pela Inglaterra, onde será a partida desta vez. Para Vardy, o duelo com a Alemanha nesta sexta e contra o Brasil na próxima terça-feira serão importantes pensando na Rússia, em 2018. “Tentaremos conseguir bons resultados e consistência e levar essa consistência para a Rússia”, afirmou o jogador.

Para alguém que já teve que dividir a carreira de futebol com o trabalho de operário, chegar à Copa do Mundo será realmente uma glória incrível.