Natural de Jeju, Ji Dong-Won sempre teve queda por esportes. Sua opção inicial foi atletismo, mas um professor lhe sugeriu que jogasse futebol, e a opção foi mesmo acertada porque na temporada que vem o sul-coreana será jogador do Borussia Dortmund, atual vice-campeão europeu. A aposta do clube alemão, porém, parece arriscada e não deve produzir efeitos imediatos.

O vínculo do jogador com o Sunderland termina em junho de 2014, então a contratação não terá custos para o Dortmund. Ji Dong-Won vai completar o seu contrato de empréstimo com o Augsburg e depois se apresenta no Iduna Park. Atacante como Robert Lewandowski, dificilmente ele vai conseguir substituir o polonês, de saída para o Bayern de Munique, à altura.

Ji Dong-Won tem até 30 de junho de 2018 para mostrar serviço nos aurinegros, mas o atleta de 22 anos não conseguiu espaço no Sunderland, que não tem o melhor plantel do mundo, com cinco técnicos diferentes. Foi contratado por € 2,4 milhões em 2011, depois de boas atuações pelo Chunnam Dragons, e virou reserva de jogadores mais experientes como Asamoah Gyan e Nicklas Bentdner. Das suas 19 aparições pelo clube inglês, apenas duas foram como titular. Balançou as redes duas vezes.

O empréstimo para o caçula da Bundesliga, Augsburg, em janeiro de 2013, fez bem para o futebol dele. Em meia temporada, o sul-coreano foi titular nas 17 partidas que disputou, com cinco gols anotados, ajudando sua nova equipe a permanecer na elite. O sucesso fez o Sunderland apostar nele novamente, mas Ji Dong-Won ficou apenas 202 minutos em campo e acabou novamente emprestado ao Augsburg, semana passada.

O jogador já mostrou qualidade em grandes torneios, como na Copa da Ásia 2011, com quatro gols marcados e duas assistências em seis jogos, desempenho que o levou ao Sunderland. A seu favor também contam os oito gols em 26 partidas pela seleção principal, e convocações constantes – embora ele não esteja garantido no Mundial 2014. Talvez leve tempo para Ji Dong-Won assumir a titularidade, e o Dortmund precisa de alguém que chegue para vestir a camisa.

Curtas

- No Chunnam Dragons, Ji Dong-Won foi companheiro de Adriano Chuva, ex-Cruzeiro, Sport e Palmeiras, e Índio, atualmente no Potiguar de Mossoró.

- Diferente da temporada passada, o Augsburg vem muito bem em 2013/14. Até a parada de inverno, são 24 pontos em 17 jogos (7v, 3e, 7d), na oitava posição, a quatro da zona da Liga Europa. O importante, porém, é estar distante da zona de rebaixamento: são dez pontos acima do Freiburg, que abre a degola.

- Ji Dong-Won não deve se recuperar de uma pancada na coxa, perdendo o primeiro jogo do Augsburg após a parada do Campeonato Alemão. É bem provável que ele nem ligue para isso, já que se estiver em campo, vai encarar o Borussia Dortmund, na casa do adversário (25/01).

Austrália

- O Sydney não vive bom momento na liga local. Já são cinco jogos sem vencer e duas derrotas consecutivas, que deixam o time na oitava posição (dentre dez participantes), com 19 pontos em 15 jogos (6v, 1e, 8d), a um da zona de classificação. Del Piero tem cinco gols em 12 partidas disputadas, mas não marca desde 26 de dezembro (três jogos). Mesmo aos 39 anos, o veterano disse essa semana que não descarta uma volta a Juventus. Vai fugir só porque está em má fase?

- Se Del Piero não sabe se vai ou fica, o atacante japonês Shinjo Ono já tomou sua decisão. O atleta do segundo colocado Western Sydney vai defender o Consadole Sapporo, da segunda divisão nipônica. A saída está marcada para junho/2014 e o principal motivo é que Ono, de 34 anos, sente saudades da família, que ficou no Japão. Ele tem três Copas do Mundo no currículo (1998, 2002 e 2006).

- O Brisbane Roar mantém a ponta, com 31 pontos em 15 jogos, um jogo a menos que o Western Sydney. O Melbourne Heart finalmente venceu a primeira: 3 a 1 sobre o Newcastle Jets, sem gols de Harry Kewell, que atuou os 90 minutos. A equipe tem oito pontos, nove atrás do penúltimo Wellington Phoenix.

Arábia Saudita

- Você nunca ouviu falar em Jassim Al Hamdan – eu também não –, mas ele deve ser herói em Al-Khobar, cidade do Al Nahdha. Graças ao pênalti convertido por ele, sua equipe venceu o Al Raed e comemorou a primeira vitória na Saudi Pro League. Pena que os nove pontos do Al Nahdha, dez atrás do Najran, não salvarão o time do rebaixamento.

- Al Nassr e Al Hilal venceram e a diferença de seis pontos do primeiro foi mantida (48 contra 42). Thiago Neves é um dos destaques do segundo colocado Al Hilal, com 12 gols na temporada, dois a menos que o geral, Nasser Al Shamrani, seu colega de time.

Irã

- O pequeno Foolad tem mesmo muito a comemorar. A vitória magra sobre o Mes Kerman deu a liderança da liga persa à equipe, com 46 pontos em 24 jogos, um a mais que o Esteghlal, que enfrenta o mesmo Mes Kerman, fora de casa, e está um ponto atrás e tem uma partida a menos. O Persepolis é terceiro, com 41 pontos, a seis rodadas do fim. Emoção não vai faltar.