O árbitro Tony Chapron, que se tornou protagonista de um lance bizarro no dia 13 de janeiro, acabou tomando um gancho de seis meses, sendo três deles sem poder atuar e outros três de condicional. A punição foi anunciada pela Ligue de Football Professionell (LFP), que dirige e a Ligue 1 na França.

LEIA TAMBÉM: O Rennes simplesmente perdeu as duas taças mais importantes de sua história

Chapron trombou com o brasileiro Diego Carlos, do Nantes, em jogo contra o Paris Saint-Germain. O árbitro achou que o jogador o derrubou de propósito, tentou revidar a agressão e, pior ainda, completou o absurdo expulsando o meio-campista. Poucas horas depois do jogo, a LFP anunciou a suspensão do árbitro por tempo indeterminado.

Depois da suspensão temporária, a LFP conduziu uma investigação sobre o caso. Nesta quinta-feira, a Comissão Disciplinar ouviu os envolvidos no caso. Com isso, a entidade decidiu que Tony Chapron, de 45 anos, fosse punido com suspensão por três meses, sem poder arbitrar qualquer partida profissional, e outros três meses condicionais, sob observação. “Depois de ouvir o senhor Tony Chapron e ler o relatório do instrutor, a Comissão decidiu sancioná-lo com seis meses de suspensão, dos quais três foram suspensos”, diz um comunicado da LFP.

Chapron tinha anunciado meses atrás que pretendia se aposentar ao final da temporada. Ainda não se sabe o que o árbitro fará agora, com a suspensão, mas é possível que o ato controverso no jogo entre PSG e Nantes possa ter sido o seu último como árbitro profissional.