Para o Villarreal, chegar às quartas-de-final da Liga dos Campeões ganhou ares de feito histórico. Logo na primeira participação do Submarino Amarelo, a equipe conseguiu entrar no grupo dos oito melhores times do torneio. O Rangers procurou ver a eliminação por um lado positivo, com destaque para o desempenho do clube ao longo desta edição da LC.

Manuel Pellegrini acha que o Villarreal tem tudo para surpreender ainda mais na LC. “Foi uma partida complicada, como devem ser as oitavas da LC. Mas o importante é que passamos. Depois de levarmos o gol do Rangers, as alterações nos deram calma. Estou convencido de que podemos fazer grandes coisas”, afirmou.

Arruabarrena, autor do gol de empate do Submarino Amarelo, destacou a importância da classificação como algo histórico. “Sabíamos que seria uma partida dura. Nosso primeiro tempo não foi bom, sem termos a posse de bola e com erros que nos deram alguns sustos. Jogamos diferente no segundo tempo, com o domínio da bola e com finalizações. Marcamos o gol e sofremos. Fizemos algo histórico para o clube. Muito poucas equipes estreantes chegam às quartas. Tanto faz quem for nosso adversário na próxima fase”, salientou.

Mesmo eliminado, Alex McLeish ressaltou a campanha do Rangers na competição. “Eles tiveram uma performance brilhante, deram orgulho ao time nesta competição e foram tão bem como nenhum time escocês. Estou bastante desapontado por ter sido eliminado, mas chegamos bem perto de um resultado histórico”, afirmou.

Barry Ferguson, capitão da equipe, seguiu a mesma linha de raciocínio do treinador. “Fizemos história por termos nos tornado o único time escocês a chegar entre os 16 melhores [no atual formato da competição]. Isto nos colocará de volta ao mapa. Dominamos no primeiro tempo e, embora eles tenham saído atrás no placar e igualado depois, acho que fomos o melhor time e merecíamos a classificação”, comentou.