Era natural que se esperasse um jogaço no Estádio Emirates. Por mais que os últimos jogos de Arsenal e de Manchester United tenham ficado muito abaixo da crítica, as camisas falavam por si. Entretanto, o único que se viu de grandioso mesmo em campo foi a história dos dois clubes. Um clássico bastante fraco, em que os Gunners até foram superiores, mas que o 0 a 0 foi bastante compreensível pelo pouco que os dois times produziram. Melhor para os adversários, ainda mais confortáveis na tabela da Premier League.

O Arsenal fecha o dia na segunda colocação na tabela e pode perder até mais um lugar, caso o Manchester City vença o Sunderland. Um gosto amargo para os londrinos, que desperdiçam dois pontos que poderiam muito bem ter conquistado e ainda veem o Liverpool se aproximando ainda mais. Já o United se mantém estacionado na sétima colocação e se distanciam ainda mais da possibilidade já remota de se classificar às copas europeias.

Quem viu o primeiro tempo no Emirates pode ter pensado que, assim como aconteceu nas partidas de Everton e Manchester City, o jogo foi adiado. Foram 45 minutos entediantes, com apenas uma chance de gol, desperdiçada por Robin van Persie. Eram duas equipes cautelosas demais em suas ações, sem conseguir encadear uma boa sequência no ataque. Com mais posse, o Arsenal era quem mais incomodava, mas não ia além de cruzamentos sem rumo.

Somente no segundo tempo a partida melhorou. Porém, as aberturas que os dois times encontravam se davam mais pelo desespero em busca do gol do que por competência própria na construção das jogadas, sobrando correria. Os Gunners seguiam melhores, mas não passavam por David De Gea – e, quando conseguiram, pararam no salvador Valencia. Já do outro lado, Van Persie perdeu o melhor lance para os Red Devils, só que dessa vez por pura competência de Wojciech Szczesny, com uma excelente defesa.

O Arsenal pode considerar que evoluiu em relação à goleada contra o Liverpool, quando sequer tentou. Entretanto, o excesso de erros dos homens de frente pesou, especialmente de Giroud e Cazorla. E também atrapalhou Mesut Özil, tão cobrado nos últimos dias, mas que foi bem ao criar várias oportunidades para seus companheiros. Mais uma ocasião em que os londrinos não conseguiram se impor contra um grande. Enquanto isso, o United só amplia sua angústia, em uma temporada na qual ocupa um lugar mediano na tabela e também atua como um time médio. Sorriso, só para quem não passou raiva com nenhum dos dois times.

Formações iniciais

arsenal united

Destaque do jogo

Antonio Valencia e Wojciech Szczesny. Não foi uma grande partida de nenhum dos dois. Mas, se o gol não saiu, eles têm grande parte nisso. Primeiro, Valencia apareceu debaixo da trave para afastar uma cabeçada de Koscielny. Já do outro lado, o goleiro operou um milagre e ainda contou com a ajuda do travessão para salvar uma tentativa à queima-roupa de Van Persie. Os dois lances de maior perigo do jogo.

Momento chave

O gol perdido por Van Persie, logo aos dois minutos. O holandês roubou a bola da defesa e avançou livre, com liberdade para fazer o que quisesse. Preferiu chutar fraco, praticamente um recuo para Szczesny. Teriam dado um rumo totalmente diferente à partida.

Curiosidade

David Moyes ampliou sua marca negativa contra times do tradicional Big Four, que também incluem Chelsea e Liverpool. Já são 49 partidas sem vitória.

Ficha técnica

ARSENAL 0×0 MANCHESTER UNITED

Arsenal_escudo Arsenal
Wojciech Szczesny, Bacary Sagna, Per Mertesacker, Laurent Koscielny e Kieran Gibbs; Mikel Arteta e Jack Wilshere; Tomas Rosicky (Alex Oxlade-Chamberlain, 29’/2T), Mesut Özil e Santi Cazorla; Olivier Giroud. Técnico: Arsène Wenger.
Manchester United escudo Manchester United
David De Gea, Rafael (Rio Ferdinand, intervalo), Chris Smalling, Nemanja Vidic e Patrice Evra; Antonio Valencia (Ashley Young, 37’/2T), Michael Carrick, Tom Cleverley e Juan Mata (Adnan Januzaj, 30’/2T); Robin van Persie. Técnico: David Moyes.
Local: Estádio Emirates, em Londres
Árbitro: Mark Clattenburg (ING)
Gols: Nenhum
Cartões amarelos: Sagna, Valencia, Young
Cartões vermelhos: Nenhum