Quando começou a Copa do Mundo de 1954, a Hungria era sem dúvida uma das grandes favoritas. Basta olhar o que fez nos anos anteriores: medalha de ouro olímpica em Helsinki, dois anos antes, e goleara a Inglaterra, por 6 a 3, em Wembley, em uma época em ela mantinha uma aura de imbatível. E não era à toa: os húngaros foram os primeiros não-britânicos a derrotarem a seleção inglesa jogando dentro de casa. Além disso, pularam a Copa de 1950, mas havia sido vice-campeã no último Mundial antes da Segunda Guerra Mundial. 

A campanha na primeira fase mostrou Ferenc Puskás e companhia foram à Suíça com fome de bola. Os Mágicos Magiares abriram os trabalhos fazendo 9 a 0 na Coreia do Sul. Em seguida, aplicaram 8 a 3 na Alemanha Ocidental, que ainda não tinha feito grande coisa no futebol internacional, mas estava prestes a mudar essa história. Vale dizer, entretanto, que nem todos os titulares foram escalados pelo técnico Sepp Herberger.

A Hungria passou pelo Brasil e pelo Uruguai nas fases seguintes e reencontrou os alemães na decisão de Berna. Como sempre, abriu 2 a 0 antes dos dez minutos e parecia que havia encaminhado o título. No entanto, a Alemanha Ocidental conseguiu a virada e ficou com o título. Quem ri por último ri melhor, afinal das contas. 

1954: Hungria 8 x 3 Alemanha

Segunda rodada da fase de grupos
Estádio St. Jakob, em Basel (Suíça)

Gols: Sándor Kocsis (quatro vezes), Ferenc Puskás, Sándor Hidegkuti (duas vezes) e József Tóth (HUN); Alfred Pfaf, Helmut Rahn e Richard Hermann (ALE)

1994: Brasil 2 x 0 Rússia

Primeira rodada da fase de grupos
Estádio Stanford, em Stanford (Estados Unidos)

Gols: Romário e Raí (BRA)

2014: Itália 0 x 1 Costa Rica

Segunda rodada da fase de grupos
Arena Pernambuco, em Recife (Brasil)

Gol: Bryan Ruiz