Enfim, a Copa do Mundo de 2014 tem forma. O sorteio das chaves foi mais ou menos como se esperava depois da definição dos potes: alguns grupos repletos de babas e alguns favoritos se cruzando precocemente. Ainda que a Costa Rica destoe, o Grupo C é o que mais chama atenção, com Uruguai, Itália e Inglaterra. Será a primeira vez na história, aliás, que três países que já foram campeões mundiais se encaram logo na primeira fase.

Nas demais chaves, Espanha e Holanda reeditarão a final da Copa de 2010. Se a regra antiga do Mundial sobre a estreia fosse mantida, aliás, seria exatamente este jogão que abriria o torneio. O Brasil duela apenas com velhos conhecidos, assim como a Alemanha. Enquanto isso, belgas, suíços e colombianos precisam agradecer bastante por terem sido agraciados como cabeças de chave, com rivais que não prometem ameaçar tanto suas classificações. Confira as curiosidades de cada uma das chaves:

 

Grupo A: Brasil, Camarões, México, Croácia

Brasil

- Assim como aconteceu na Alemanha, o Brasil abrirá sua participação contra a Croácia. Não fosse a mudança de data na abertura do Mundial de 2014, adiantada em um dia, brasileiros e croatas se enfrentariam exatos oito anos depois pela competição.

- O Brasil reencontrará o México, seu primeiro adversário 63 anos atrás. A equipe de Flávio Costa abriu a campanha com goleada, 4 a 0, dois tentos anotados pelo artilheiro Ademir. E, embora o histórico recente dos brasileiros contra os mexicanos não anime, em Copas, El Tri é freguês. São três jogos, com três vitórias brasileiras, 11 gols marcados e nenhum sofrido.

- Contra Croácia e Camarões, o Brasil só jogou uma vez contra cada em Mundiais. E sempre se deu bem: tranquilidade nos 3 a 0 dos Estados Unidos contra os camaroneses e golaço de Kaká no 1 a 0 em cima dos croatas na Alemanha.

- Brasil x México se torna o duelo mais recorrente em primeira fase da história dos Mundiais. Depois de 50, 54 e 62, será a quarta vez que eles se cruzarão. Só mexicanos e franceses se pegaram tantas vezes logo no início do torneio.

- Se a maior frustração do Brasil é a medalha de ouro olímpica, a equipe poderá se vingar dois de seus últimos algozes: Camarões, em 2000, e México, em 2012.

Grupo B: Espanha, Chile, Austrália, Holanda

Espanha

- Até 2010, Espanha e Holanda nunca tinham se enfrentado em Copas. Calharam de fazer a final, com o histórico gol de Andrés Iniesta que deu o título à Roja. Em 2014, os gigantes se reencontrarão logo na estreia, na primeira vez que uma final de Mundial é reeditada logo na primeira rodada da edição seguinte. E a Oranje precisa quebrar um tabu: nunca venceu na competição uma seleção europeia que já tivesse sido campeã.

- Chile e Espanha são velhos conhecidos em Mundiais. Além do jogo que decidiu a classificação do Grupo H na Copa de 2010, também duelaram no Brasil em 1950. Os espanhóis venceram os chilenos diante de 16 mil torcedores no Maracanã, com gols de Basora e Zarra. Apenas a Fúria avançou ao quadrangular decisivo da competição.

- Recentemente, chilenos e espanhóis fizeram grande amistoso. A equipe de Jorge Sampaoli teve excelente atuação, mas acabou cedendo o empate aos atuais campeões do mundo.

- A única seleção que a Austrália já havia encontrado em Mundiais era o Chile, em sua primeira classificação ao torneio. Empataram por 0 a 0 e morreram abraçados em 1974. Além disso, os Socceroos tem uma marca desagradável: sempre que disputam a Copa, caem em uma chave com campeão do mundo – antes, Alemanha Ocidental (1974), Brasil (2006) e Alemanha (2010).

Grupo C: Colômbia, Costa do Marfim, Japão, Grécia

Belgium Colombia Soccer

- É a única chave em que nenhuma das seleções se enfrentou antes em Mundiais.

- A Costa do Marfim vai para sua terceira Copa. E, pela terceira vez, terá uma seleção sul-americana como cabeça de chave. Antes da Colômbia, foram Argentina e Brasil. Desta vez, ao menos, as chances de classificação dos Elefantes são maiores do que nunca.

- Pela primeira vez, a Grécia não pegará Nigéria e Argentina logo na fase de grupos. Pode-se considerar sortuda desta vez.

Grupo D: Uruguai, Itália, Costa Rica, Inglaterra

Uruguai

- Motivo de amor e ódio na Inglaterra, Luiz Suárez terá um confronto decisivo contra o país que lhe emprega. Também será interessante ver o duelo de Edinson Cavani com a Itália, onde construiu sua carreira.

- Uruguaios e italianos já se enfrentaram duas vezes em Copas do Mundo, 1970 e 1990. E a vantagem histórica é da Azzurra, com uma vitória e um empate.

- Inglaterra e Itália só se enfrentaram uma vez na história das Copas. Um jogo nada além de protocolar no Mundial de 1990, no qual a Azzurra venceu por 2 a 1 e garantiu o terceiro lugar diante de sua torcida. Foi também a última vez que os britânicos estiveram nas semifinais.

- Já o Uruguai fez partidas históricas contra Inglaterra e Itália. Em 1954, a Celeste eliminou os ingleses nas quartas de final, antes de cair para a Hungria nas semifinais. No Mundial de 1990, por sua vez, os uruguaios caíram ante a Azzurra nas oitavas, com gols de Schilacci e Serena.

Grupo E: Suíça, Equador, França, Honduras

Suíça

- França e Suíça se encontraram em uma Copa do Mundo na edição de 2006, na Alemanha, ainda na fase de grupos. A partida terminou em um empate sem gols, e as duas seleções foram as classificadas de sua chave. Os suíços também reencontrarão Honduras, com quem jogaram na última Copa, também na fase inicial, em jogo que as redes também não foram balançadas.

- Equador repete sua tradição em Copas e terá em sua chave duas seleções europeias e uma da Concacaf, que, neste caso, serão Suíça, França e Honduras, respectivamente. Em 2002, não conseguiu chegar às oitavas, e México e Itália avançaram. Em 2006, foi a segunda colocada no grupo A, liderado pela anfitrã Alemanha.

- Honduras e Equador fizeram, entre si, seu último amistoso neste ano. Partida acabou em 2 a 2, com Enner Valencia salvando os equatorianos da derrota com um gol aos 44 minutos do segundo tempo.

Grupo F: Argentina, Bósnia-Herzegovina, Irã, Nigéria

Argentina

- Esta será a quinta participação da Nigéria em uma Copa do Mundo, e a quarta em que cai no mesmo grupo que a Argentina (1994, 2002 e 2010 foram as ocasiões anteriores). Os três encontros em mundiais acabaram com vitórias dos Hermanos.

- A Argentina, país do Papa, é o único país do Grupo F cuja maioria da população não é muçulmana. Na Nigéria, 50%, no Irã, 98,4%, e na Bósnia, 40% das pessoas são islâmicas e se sobressaem em relação a outras religiões.

- A Nigéria traz lembranças contrastantes para Lionel Messi. Em 2008, conseguiu sua maior glória com a seleção argentina ao conquistar as Olimpíadas sobre os nigerianos. Em 2010, no entanto, foi completamente parado pela muralha chamada Vincent Enyeama. Para sua sorte, Gabriel Heinze garantiu a vitória com o gol solitário no começo do jogo.

Grupo G: Alemanha, Portugal, Gana, Estados Unidos

Alemanha

- Alemanha e Portugal enfrentaram-se apenas uma vez em Copas do Mundo. O encontro aconteceu na disputa do terceiro lugar do Mundial sediado pelos alemães, em 2006, e terminou em vitória por 3 a 1 da seleção da casa. O jogo marcou a despedida de Oliver Kahn da Nationalmannschaft.

- Jürgen Klinsmann, hoje técnico dos Estados Unidos, irá enfrentar seu país-natal, a Alemanha, a qual comandou na Copa de 2006.

- Esta é a terceira Copa de que a Gana participará, e pela terceira vez irá encarar os Estados Unidos. O retrospecto, no entanto, é favorável aos africanos. Em 2006, os ganeses venceram os norte-americanos na fase de grupos por 2 a 1. Já em 2010, outro 2 a 1, mas nas oitavas de final.

Grupo H: Bélgica, Argélia, Rússia, Coreia do Sul

Bélgica

- A Bélgica é a seleção que percorrerá o menor trajeto em viagens. Jogará apenas na Região Sudeste (Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo) e viajará 698 km. Os Estados Unidos, seleção que mais viajará, terão 5.607 km, por exemplo.

- Esta será a quinta Copa em que a Rússia pegará a Bélgica. Em 1970, 1982 e 1986, ainda como União Soviética, e em 2002 como a conhecemos hoje. Nos quatro confrontos, nenhum empate: duas vitórias para cada.

- Pela terceira vez, a Coreia do Sul cai no mesmo grupo que a Bélgica. Em 1990, vitória dos belgas por 2 a 0; em 1998, um empate em 1 a 1.