“Não há palavras. Apenas emoções. Eu estou chorando desde que o apito soou. Minha mulher teve que me segurar como um recém-nascido. Te amo, Peru. Te amo, Papai. Eu sei que você está chorando comigo, bem perto da mamãe aí em cima. Obrigado a todos pelas incríveis mensagens”

O tuíte de Luis Miguel Echegaray, jornalista peruano que trabalha para a Sports Illustrated, dimensiona exatamente o sentimento compartilhado por milhões de seus compatriotas na madrugada desta quinta. O sonho que por anos pareceu mera alucinação, enfim, se realizava. E não havia outra maneira a expressar o que se passava na cabeça revirada além das lágrimas. As lágrimas de quem engoliu tantos momentos frustrantes até poder, enfim, soltar todo o êxtase trancado no peito por décadas. A glória da Copa do Mundo foi negada por oito edições seguidas do torneio. E por isso a alegria desatina de maneira tão avassaladora. De uma maneira que nós, brasileiros, provavelmente nunca saberemos como é. Apenas podemos ver o que ocorre com os peruanos. Mesmo de longe, sentir a vibração capaz de atravessar a cordilheira, tal qual um terremoto.

VEJA TAMBÉM: O Peru é um país diferente depois desta noite, transformado pelo júbilo de voltar à Copa após 36 anos

A emoção com o feito da seleção peruana, sobretudo, ecoou nos microfones que transmitiram a partida. E é impossível não ficar mexido com essas vozes, com essa euforia, com essa incredulidade. Abaixo, reproduzimos vídeos de quatro veículos diferentes: RPP, ATV, Movistar Deportes e Radio Unión. Diferentes maneiras de relatar o momento, a mesma explosão de sentimentos.