A gente sabe que o futebol não é uma ciência exata. Se fosse assim, Oswald de Souza e Tristão García seriam técnicos muito melhores do que Felipão para a seleção brasileira. Ainda assim, brincar com os números pode ser útil para tentar entender como se desenrolará o Mundial – afinal, só conhecimento não basta para fazer os palpites certeiros no bolão da firma. Pois o matemático francês Julien Guyon criou uma fórmula para avaliar a “sorte” de cada seleção na fase de grupos. E dá até para dizer que o Brasil se deu bem.

Veja também: Bater pênalti é coisa séria, mas em Copa do Mundo é coisa muito séria

O estudo de Guyon foi publicado em matéria do New York Times. Para avaliar se uma seleção foi mais ou menos sortuda na definição de seus grupos, ele considerou o Ranking da Fifa e os possíveis adversários que cada país poderia ter no sorteio. O Brasil, por exemplo, se saiu razoavelmente bem porque Croácia, México e Camarões não são necessariamente os mais bem ranqueados de seus potes. Seria muito pior se pintassem Holanda, Gana e Estados Unidos, por exemplo.

Dentro dessa lógica, o México acabou sendo o mais sortudo. Os times do Grupo H, de uma maneira geral, se deram bem, enquanto os times do Grupo G estão entre os mais azarados. Ainda assim, ninguém supera a Austrália, que encarará os adversários mais bem ranqueados dentro das possibilidades e aparece na lanterna da lista de Guyon.

O matemático francês ainda faz uma proposta para o sorteio das próximas Copas do Mundo: que, ao invés da divisão geográfica, os potes passem a ser divididos a partir do Ranking da Fifa. Para ele, assim é possível ter um equilíbrio muito maior sobre as chaves. O único problema é que ele não deve ter pensado muito nas próprias distorções do Ranking da Fifa. Afinal, por mais que o México apareça como o mais sortudo, a posição ruim do Brasil na época do sorteio mente muito sobre a força que o time deve mostrar dentro de casa.

Abaixo, o gráfico de “nível de sorte” publicado pelo New York Times. Você pode entendê-lo melhor clicando aqui.

ranking

Veja também:

As camisas das 32 seleções, desta Copa e também das passadas, em um infográfico sensacional

Guia Trivela para quem vai a encontro de troca de figurinhas

Os craques que brilharam nos Mundiais imaginários de 1942 e 46

A cobertura completa da Trivela na Copa do Mundo