O Athletic Bilbao, por toda a sua tradição, é um dos maiores clubes do futebol espanhol. Pode não ser um gigante como Barcelona ou Real Madrid, mas, em tempos nos quais as compras milionárias não faziam tanta diferença, os leones eram uma potência em La Liga. Entretanto, a limitação do elenco a jogadores bascos faz com que, mesmo sendo rico, o clube não consiga competir com os grandes do país. Por isso mesmo, os momentos de glória são tão comemorados. Como o alcançado nesta quarta-feira, com o Athletic voltando à fase de grupos da Liga dos Campeões após 16 anos.

MOTI, O MITO: Zagueiro vai para o gol, defende dois pênaltis e põe Ludogorets na LC; veja

O Athletic Bilbao pegou o sorteio mais difícil possível dos playoffs da Champions. Pelo bom desempenho na última temporada, o Napoli era favorito no confronto com os bascos. Porém, o empate por 1 a 1 em San Paolo já tinha dado ótimas perspectivas para a equipe de Ernesto Valverde. Que se impôs diante da massa enlouquecida em San Mamés Barria. Apesar do susto com o gol de Marek Hamsik no início do segundo tempo, Aduriz comandou a virada decisiva por 3 a 1.

A vitória foi conquistada graças às bobeiras defensivas do Napoli, mas também à capacidade do ataque do Athletic, algo que o clube carrega desde os tempos de Marcelo Bielsa. Aduriz marcou os dois gols da virada em lances de oportunismo, enquanto o terceiro foi anotado por Ibai Gómez. Confirma a excelente fase dos leones, que conseguiram um equilíbrio maior com Ernesto Valverde e são duríssimos nos jogos em seu estádio. Um adversário para se respeitar na fase de grupos, ainda mais estando no Pote 3.

LEIA MAIS: Aqui estão os classificados e como eles foram divididos para o sorteio da Champions

Sobretudo, o resultado do confronto entre Napoli e Athletic mostra o que tem sido uma tendência entre espanhóis e italianos nas competições europeias. Os clubes da La Liga vivem um excelente momento contra os adversários do continente, vencendo os 19 últimos duelos eliminatórios contra estrangeiros – algo que também engloba a arrancada de Real Madrid e Atlético de Madrid na última Champions, assim como do Sevilla na Liga Europa. Já os italianos patinam no coeficiente europeu, ainda que estejam longe de perderem mais vagas nos torneios. Sem o Napoli, serão apenas dois clubes da Serie A na LC, além de quatro na Liga Europa – sendo que Internazionale e Torino ainda jogam a classificação.

A classificação do Athletic pode ser até um tributo ao passado, com a exaltação da história do clube. Contudo, também é mais uma profecia nada boa para o futuro, diante do péssimo desempenho dos italianos, de tantas glórias no cenário continental.