Por vezes, o futebol parece protegido por uma redoma. Enquanto boa parte dos países europeus é afligida pela crise econômica, clubes poderosos seguem fazendo contratações milionárias e recebendo benesses do poder público. Uma relação que beira a promiscuidade, diante da realidade enfrentada pela população – e pelos torcedores. Em meio a esse paradoxo, porém, o Atlético de Madrid resolveu agir para dar um alento à massa de desempregados na Espanha, estimada em 25% da população total.

Para o jogo de volta contra o Sant Andreu, pela Copa do Rei, o Atleti colocou à disposição de seus sócios desempregados 5 mil ingressos a € 1. A diferença nos valores não é tão grande assim, já que os ingressos ao confronto estão sendo vendidos por € 5 para outros sócios e entre € 10 e € 25 para o restante dos torcedores. Ainda assim, o simbolismo do ato dos colchoneros é enorme.

Não é a primeira benfeitoria do tipo nesta temporada. Na segunda divisão italiana, o Pescara passou a oferecer ingressos gratuitos a todos os torcedores desempregados que quisessem acompanhar os jogos no Estádio Adriático. A ação do Atlético não é tão grandiosa, o que não minimiza sua importância. Um clube com raízes ligadas às massas populares, que abre portas para aqueles que continuam apoiando o clube, mesmo sem condições financeiras.