Diego Costa marca o quarto gol do Atlético: um time para ser respeitado na Europa  (AP Photo/Andres Kudacki)

Atlético de Madrid pode complicar qualquer adversário que vier pela frente

O Atlético de Madrid era claramente favorito antes do confronto com o Milan. A vitória por 1 a 0 em Milão, mesmo com os italianos jogando melhor, deixou uma certa incerteza no ar. Se repetisse a atuação, o Milan poderia vencer em Madri, ainda mais com o peso e tradição que tem. Só que não foi o que aconteceu. Os colchoneros fizeram um grande jogo, ao contrário do primeiro confronto, e aí transformaram o jogo duro contra o Milan em uma goleada por 4 a 1 no final. Um time que se mostra cada vez mais forte e dá sinais que não será um adversário fácil para ninguém que vier pela frente nas quartas de final da Liga dos Campeões. Mesmo que venha um gigante.

Era possível afirmar isso antes do jogo contra o Milan também, claro, até pelo que o time do técnico Diego Simeone tem feito na temporada até aqui. Só que agora, com a passagem às quartas de final da Liga dos Campeões, essa afirmação ganha mais peso. E a forma como ela aconteceu, com autoridade e força de um time muito sólido, dá a impressão que mesmo estando em um nível inferior a Bayern de Munique e Real Madrid, pode complicar o jogo mesmo para esses times, ainda que não entre como favorito contra nenhum dos dois. Contra o Real Madrid o Atlético sabe que é um clássico, o que cria um ambiente que pode lhe ser favorável. Contra o Bayern é mais complicado, mas sendo um time que consegue atuar bem com pouca posse de bola, pode ser bastante perigoso mesmo contra os alemães.

Diego Costa, um dos principais destaques do time, foi primoroso na partida. Marcou dois gols e foi muito importante no ataque, segurando a bola e criando jogadas no campo de ataque. Longe de ser um jogador parado, um centroavante paradão, ele se movimenta pelos lados do campo e cria dificuldades para a defesa adversária, ainda mais quando essa defesa é formada por Rami e Bonera, ambos lentos. Os seus dois gols foram de um jogador decisivo. Em um, se esticou todo para finalizar. No outro, recebeu e bateu cruzado, forte. Mostra a confiança de um jogador em boa fase, mas já passou da fase de parecer só isso. Sabe driblar em espaço curto, sabe trabalhar a bola.

Decisivo, aliás, como é o time todo do Atlético. Tem um espírito vencedor, de quem sabe decidir jogos quando vê a chance. Mentalidade, em qualquer esporte, é algo fundamental. Para isso, contou também com a atuação de destaque de outros dois jogadores, especialmente. Arda Turan fez um bom jogo e marcou um dos gols, além de ser um jogador que se movimenta muito. Uma característica do time, aliás. Raúl García foi melhor ainda, fazendo um ótimo trabalho para incomodar a defesa sem parar em um lugar do campo. Cria como meia, mas se posiciona como atacante. Não é por acaso que ele ganhou a posição e David Villa tem ficado no banco. Marcá-lo é difícil e o Milan não conseguiu impedi-lo de jogar em nenhum momento.

O Atlético tem força. Cada vez mostra mais evidentemente isso. O elenco não é farto como os demais gigantes europeus e provavelmente na próxima fase o time não seja favorito, a não ser que enfrente um Olympiacos, ou o Galatasaray, se esses times conseguirem a classificação. Mesmo contra o Manchester United, um time poderoso e de tradição no torneio, o time de Simeone seria favorito. Nos demais, não. Mesmo assim, será um time a ser respeitado. E o jogo desta terça-feira deixou isso evidente.

Formações iniciais

Atlético de Madrid x Milan

Destaque do jogo

Raúl Garcia foi o grande destaque do time. Fez o passe para o gol de Turan e marcou o seu, de cabeça. Ajudou muito o time no ataque, ora segurando a bola, ora abrindo espaços para Diego Costa.

Momento-chave

O segundo gol do Atlético de Madrid deu um desânimo no Milan. O início do segundo tempo, apático, mostrava um Milan com espírito de derrotado, contra um Atlético confiante.

Os gols
Diego Costa, do Atlético de Madrid, marca se esticando todo: a fase é enorme (AP Photo/Paul White)

Diego Costa, do Atlético de Madrid, marca se esticando todo: a fase é enorme (AP Photo/Paul White)

3’/1T: GOL DO ATLÉTICO DE MADRID! Essien perde a bola e Koke cruza para Diego Costa se esticar para marcar.

27’/1T: GOL DO MILAN! Poli cruza da direita na segunda trave e Kaká completa de cabeça.

40’/1t: GOL DO ATLÉTICO DE MADRID! Turan chuta de fora da área, a bola desvia e mata Abiatti.

26’/2T: GOL DO ATLÉTICO DE MADRID! Raúl García completa de cabeça e amplia o placar para os colchoneros. E praticamente terminou o confronto.

40′/2T: GOL DO ATLÉTICO DE MADRID! Em ataque pela direita, Diego Costa recebeu dentro da área e chutou cruzado para marcar o quarto.

Curiosidade

Diego Costa chegou a sete gols em cinco jogos de Liga dos Campeões. Tá bom ou quer mais?

Ficha técnica

Atlético de Madrid

Atlético de Madrid
Thibaut Coutrois; Juanfran, Miranda, Diego Godín e Filipe Luís; Koke (Diego, 37’/2T), Gabi, Mario Suárez e Arda Turan (Cristian Rodríguez, 33’/2T); Raul García (José Sosa, 27’/2T) e Diego Costa.
Técnico: Diego Simeone

Milan_escudoMilan
Christian Abiatti; Ignazio Abate, Adil Rami, Daniele Bonera e Urby Emanuelson; Nigel De Jong (Sulley Muntari, 33’/2T) e Michael Essien (Giampaolo Pazzini, 23’/2T); Adel Taraabt (Robinho, intervalo), Andrea Poli e Kaká; Maio Balotelli.
Técnico: Clarence Seedorf

Local: Estádio Vicente Calderón, em Madri (ESP)
Árbitro: Mark Clattenburg (ING)
Gols: Diego costa, 3’/1T, 40’/2T, Arda Turan, 40’/1T, Raúl García, 26’/2T (Atlético de Madrid), Kaká, 27’/1T (Milan)
Cartões amarelos: Raúl García (Atlético de Madrid), Rami, Balotelli, Robinho (Milan)
Cartões vermelhos: Nenhum