A princípio, seria um jogo difícil ao Borussia Dortmund. O Borussia Mönchengladbach não começou tão bem assim a Bundesliga, com oito pontos nas cinco rodadas anteriores, mas é um clube que inspira respeito. E quanto antes os aurinegros resolvessem o jogo no Signal Iduna Park, melhor. O que talvez nem o torcedor mais otimista imaginasse era a sonora goleada que o time de Peter Bosz aplicou. Se já vinha voando na competição, o Dortmund conquistou o seu resultado mais emblemático neste sábado. Atropelou os Potros por 6 a 1 e se isolou na liderança do campeonato.

Em um final de semana no qual os principais clubes da Europa estão se planejando para a Liga dos Campeões, o Borussia Dortmund não fez diferente. Alguns jogadores importantes ficaram no banco, como Andriy Yarmolenko, Shinji Kagawa, Nuri Sahin e o recuperado Marc Bartra. Pierre-Emerick Aubameyang, no entanto, estava escalado para comandar o ataque. E tratou de protagonizar o massacre ao lado de Maximilian Philipp.

A postura agressiva era determinante ao Dortmund. O time chegou a ter 83% de posse de bola na primeira meia hora de jogo. Roman Bürki fez uma boa defesa, mas a pressão era toda dos aurinegros, exigindo bem mais do goleiro Tobias Sippel. Aubameyang até mesmo a acertou a trave, pouco antes de Philipp abrir o placar, aos 28 minutos. Em ótima enfiada de bola de Weigl, Auba cruzou para o novo contratado bater de primeira.

O tento tirava a responsabilidade dos ombros dos anfitriões e os deixaram mais soltos para ampliar. Seriam mais dois gols antes do intervalo. Philipp também marcou o segundo, aproveitando cruzamento de Jeremy Toljan, após roubada de bola no campo de ataque. E, pouco depois de carimbar a trave mais uma vez, Auba deixaria sua marca aos 45, em mais um passe em profundidade que acabou ajeitado por Philipp.

Apesar do placar tranquilo para o segundo tempo, o Dortmund não diminuiu o ritmo. Logo aos três minutos, em um verdadeiro bombardeio, saiu o quarto gol. Aubameyang acertou a trave pela segunda vez, mas agora estava no lugar certo para emendar o rebote às redes. E o quinto completaria a tripleta do gabonês, em mais uma falha do Gladbach na intermediária. Mahmoud Dahoud lançou de primeira, para o artilheiro driblar Sippel e tocar para a meta vazia. Os Potros fariam o de honra logo depois, aos 21, com Lars Stindl e os aurinegros diminuiriam o ritmo. Ainda assim, haveria tempo para o golaço da noite, que certamente figurará entre os mais bonitos da Bundesliga. A bola sobrou na entrada da área para Weigl, que dominou e pegou na veia, mandando a bola no ângulo.

A defesa do Borussia Dortmund sofreu o seu primeiro gol no campeonato, em um momento no qual já estava relaxada. Em compensação, o ataque exibiu o máximo de sua intensidade. Foi impressionante a maneira como os passes verticais e as jogadas em profundidade deram certo, aproveitando bem a velocidade do trio escalado por Peter Bosz no ataque. Com três gols, uma assistência e três bolas na trave, Aubameyang foi quem mais destoou. Protagonizou uma de suas melhores atuações desde que chegou à Alemanha, entre tantas, e assumiu a artilharia da Bundesliga, com oito tentos, um a mais que Robert Lewandowski.

Mais importante que os três pontos em si ou do que o placar são os reflexos da goleada do Borussia Dortmund. Primeiro, dentro da própria Bundesliga. Em uma rodada na qual o Bayern de Munique dormiu no ponto contra um adversário claramente inferior, os aurinegros foram praticamente impecáveis, sem se acomodar. Já são três pontos de vantagem sobre os bávaros, em terceiro, e dois sobre o Hoffenheim, que assumiu a segunda colocação ao bater o Schalke 04 neste sábado. Além disso, há a própria injeção de ânimo para a sequência da Liga dos Campeões. Os erros pontuais custaram caro na visita ao Tottenham em Wembley. Mas o clima já é outro para receber o errante Real Madrid no Signal Iduna Park.