Na Inglaterra, o final de semana foi de revanches entre os grandes. Após ser derrotado em casa pelo Chelsea pela Premier League, o Manchester City ganhou nova chance e eliminou os Blues da Copa da Inglaterra. Mesma coisa com Arsenal e Liverpool. Os Reds haviam goleado os Gunners pelo Inglesão, mas acabaram tomando o troco e sendo eliminados, com um placar magro, é verdade. Pela Espanha, o destaque foi a volta de Neymar na goleada do Barcelona, que contou com um golaço do brasileiro. Além disso, houve boas histórias em Alemanha e França também. Confira tudo no balanço do final de semana do futebol internacional.

O jogão
Arsenal 2×1 Liverpool

Pouco tempo após a vexatória goleada sofrida por 5 a 1 no Anfield, o Arsenal soube aproveitar a oportunidade de vingança e, embora não na mesma intensidade, conseguiu e de quebra eliminou o Liverpool da Copa da Inglaterra. O jogo foi bastante disputado. Mesmo jogando como visitantes, os Reds pressionaram bastante o adversário. Daniel Sturridge teve um dia para esquecer, enquanto o Arsenal, diferentemente do atacante inglês, soube aproveitar as oportunidades que teve. Finalizando quase a metade das vezes que o time de Merseyside (oito finalizanções contra 15), os Gunners garantiram a classificação com gols de Alex Oxlade-Chamberlain e Lukas Podolski. O único gol dos visitantes foi marcado por Steven Gerrard, em cobrança de pênalti.

A virada

Eintracht Braunschweig 4×2 Hamburgo

Se a péssima classificação de Braunschweig e Hamburgo afastou os espectadores do jogo, estes devem estar arrependidos. Um duelo cheio de gols foi o que aconteceu entre o lanterna e o vice-lanterna. Contra o Braunschweig, o Hamburgo tinha sua melhor oportunidade de reencontrar as vitórias e tentar sair um pouco do buraco em que se meteu. Há sete jogos sem vencer (com seis derrotas nos últimos seis jogos), a equipe de Mirko Slomka tinha pela frente o último colocado da Bundesliga, adversário dos menos complicados para sair da péssima sequência. Os rothosen até saíram na frente, com Pierre-Michel Lasogga e foram para o intervalo com o 1 a 0 no placar e provavelmente esperança em seus corações. Tudo destruído no segundo tempo. Com menos de 20 minutos da segunda etapa, Domi Kumbela havia virado o jogo. Ilicevic até empatou novamente, mas nos cinco minutos finais do tempo regulamentar, Kumbela foi à rede mais uma vez, e Jan Hochscheidt fechou o caixão com o 4 a 2.

O brasileiro

Neymar

Após quase um mês afastado por lesão, que chegou até a preocupar os brasileiros inicialmente, Neymar voltou a campo pelo Barcelona da melhor maneira possível: com gol. E não qualquer gol. Diante de um Rayo Vallecano já combalido pela derrota por 5 a 0, o ex-santista fechou o placar com um belo chute de fora da área, no ângulo do goleiro Rubén Martínez. Com 25 toques na bola e uma boa porcentagem de acerto nos passes, o brasileiro mostrou que, mesmo que sem muito ritmo, está pronto para contribuir com os catalães nos confrontos diante do Manchester City.

A decepção

Athletic Bilbao 1×2 Espanyol

Após uma boa sequência em La Liga, que permitiu uma aproximação ao topo da tabela, o Athletic Bilbao começou a tropeçar nas últimas rodadas. Após dois empates, a expectativa era de que, diante do Espanyol, jogando em casa, a vitória retornasse ao San Mamés, afinal, a equipe ainda não havia perdido um jogo sequer como mandante. No entanto, a ducha de água fria foi maior que o esperado: primeira derrota como anfitrião no Campeonato Espanhol. A sorte dos bascos é que seu atual concorrente pela quarta colocação, o Villarreal, também tropeçou, sendo derrotado pelo Celta de Vigo em casa.

O cara

Milos Jojic

Milos Jojic é mais uma aposta do Borussia Dortmund. Com apenas 21 anos, o sérvio foi contratado no mês passado e segue um perfil dos aurinegros no mercado de transferências: jogadores jovens sem tanto holofote. A estreia pelo novo clube aconteceu neste final de semana, e, embora não tenha sido o melhor jogador do futebol europeu nos últimos dois dias, não tem como deixar de falar sobre como ele começou com o pé direito. Jojic precisou de apenas 17 segundos para marcar seu primeiro gol com a camisa do Borussia Dortmund, 12 se você considerar que por cinco segundos a bola ficou parada. Será que tem estrela o garoto?

A goleada

Barcelona 6×0 Rayo Vallecano

A goleada do Barcelona sobre o Rayo Vallecano foi especial, não apenas pelo placar obviamente positivo. Para começar, Lionel Messi mostrou mais uma vez que seus problemas físicos são coisa do passado. Marcou dois gols, um deles um golaço,  deu uma assistência para Alexis Sánchez e foi o maior destaque do 6 a 0. Além disso, Neymar retornou aos gramados, jogando pela primeira vez com o argentino desde 16 de janeiro. O golaço do brasileiro, que fechou o placar, foi o recado do ex-santista de que está de volta e pronto para enfrentar o Manchester City. Um jogo desses pouco antes do início das oitavas de final da Liga dos Campeões contra uma das equipes mais fortes do continente no momento é exatamente aquilo de que precisavam os comandados de Tata Martino.

O golaço

Marco Fabián

Vencer uma partida com gol no último lance está entre as melhores sensações de um torcedor. Quando o tento que garante o triunfo é um golaço como o de Marco Fabián, do Cruz Azul, contra o Puebla, pelo Campeonato Mexicano, o sentimento é ainda mais especial. O gol foi o quarto do jogador em seis jogos pelo atual clube. Revelado pelo Chivas Guadalajara, o atleta, de 24 anos, esteve no grupo mexicano que levou a medalha de ouro nas Olímpiadas de Londres, em final vencida contra o Brasil.

O tropeço

Evian 1×1 Lille

O Lille praticamente deu adeus à briga pelo título da Ligue 1 no último jogo do ano passado, diante do Paris Saint-Germain. Aquela era a chance de diminuir ainda mais a diferença para o líder, que então era de quatro pontos. O empate, no entanto, somado aos cinco tropeços no início deste ano, tiraram de vez a equipe da luta. O objetivo do clube agora é conseguir o terceiro lugar para ir direto à fase de grupos da Liga dos Campeões na próxima temporada, e o tropeço diante do Evian, 17º colocado, foi bem ruim para essas pretensões. Saint-Étienne e Olympique de Marseille, quarto e quinto na classificação, respectivamente, tinham um confronto direto, então o Lille precisava vencer. Como previsto, os dois empataram, e os dogues decidiram seguir os concorrentes. Uma vitória deixaria o time com cinco pontos a mais em relação ao Saint-Étienne. O empate nessas circunstâncias é o tipo de resultado que, ao final da temporada, você olha e lamenta os pontos desperdiçados.