Pablo Zabaleta, do Manchester City (Foto: AP)

[BALANÇO] Em fim de semana de tropeços, Juventus fica com o título, e o City, quase

Tropeço foi a palavra de ordem no final de semana. Na Espanha, nenhum dos três líderes venceu e a briga pelo título está mais aberta do que nunca. Enquanto isso, na Itália, a Juventus foi tricampeã sem precisar entrar em campo depois que a Roma passou pelo seu periódico apagão: depois de nove vitórias seguidas, foi goleada por 4 a 1 pelo Catania, o lanterna da Serie A antes da rodada começar.

>>>> A Juventus tricampeã italiana deve muito à insaciável dupla que tornou seu time completo

Ao noroeste, naquela ilha onde fica a Inglaterra, o Chelsea disse adeus à briga pela Premier League e o Manchester City disse alô. Venceu o Everton, de virada, e está a duas vitórias em casa de ser campeão pela quarta vez na história. Os comandados de José Mourinho não conseguiram superar um ameaçado Norwich em Stamford Bridge e precisam de uma série de milagres para ainda ter alguma chance.

Quem parece não ser estranho aos milagres é Arsène Wenger. Mais uma vez, apesar de todos os problemas de lesão, o Arsenal garantiu vaga na próxima Liga dos Campeões, o que parecia distante quando o Everton assumiu a quarta posição. É uma consistência notável dessa equipe que reluta a dar um passo à frente tanto quanto a dar um passo atrás.

Mas vamos ao que de melhor aconteceu no final de semana, que teve outro campeão na Itália e um clube tradicional muito próximo do rebaixamento na Alemanha.

>>>> Foi assim que a torcida do Guingamp invadiu Paris para conquistar a Copa da França

O jogão

Everton 2 x 3 Manchester City

Se o Manchester City não bobear, essa partida será lembrada como aquela em que o time mostrou as qualidades que um campeão precisa ter. Saiu atrás contra o Everton e teve a força mental e técnica necessária para virar o jogo contra uma ótima equipe. Mesmo após Sergio Agüero mais uma vez deixar os companheiros na mão. O argentinou empatou, pouco depois do golaço de Barkley que abriu o placar, mas saiu machucado ainda no primeiro tempo. A responsabilidade recaiu nas costas bósnias de Edin Dzeko, que não decepcionou e marcou duas vezes.

Lukaku colocou fogo no duelo na metade do segundo tempo. Antes e depois, o Everton perdeu boas chances de vazar Joe Hart. Mas o movimentado jogo terminou mesmo 3 a 2 para o Manchester City, em Goodison Park, para o desespero do Liverpool. Agora, a conta para o time do técnico Manuel Pellegrini é a mais simples possível: se ganhar de Aston Villa e West Ham em casa, é campeão inglês.

A goleada

Hamburg 1 x 4 Bayern de Munique

O Hamburgo é o único clube que disputou todas as edições da Bundesliga, mas essa marca impressionante corre um sério risco de terminar logo logo. A goleada de 4 a 1 que o Bayern de Munique impôs coloca o clube nos playoffs do rebaixamento do Campeonato Alemão. No mínimo. A uma rodada do fim do torneio, Rafael Van der Vaart e companhia ainda podem ser superados pelo Nuremberg e pelo Eintracht Braunschweig e cair sem choro nem vela.

>>>> A idolatria por Lewandowski é maior do que qualquer sentimento de traição

Ah, e o Bayern de Munique? Bem, a única coisa que separa os bávaros das férias é a final da Copa da Alemanha, em 17 de maio, contra o Borussia Dortmund. Ainda assim, Guardiola colocou seus craques em campo, e Mario Götze foi o principal deles, com dois gols e uma assistência. Muito bacana, mas os torcedores ainda estão de cabeça inchada depois da eliminação para o Real Madrid nas semifinais da Liga dos Campeões.

A surpresa

Levante 2 x 0 Atlético de Madrid

David Villa, atacante do Atlético de Madrid (Foto: AP)

David Villa, atacante do Atlético de Madrid (Foto: AP)

O Atlético de Madrid falhou na tentativa de arrancar mais uma vitória à força. Deu um pouco de azar também porque Filipe Luis fez um gol contra com sete minutos de bola rolando, e a equipe de Diego Simeone não é exatamente pródiga em furar retrancas. Prefere ter campo para contra-atacar. O prejuízo só não foi maior porque Barcelona e Real Madrid empataram. Os colchoneros ainda dependem das próprias forças para ser campeão pela primeira vez desde 1996, mas agora precisa ao menos empatar com o Barça no Camp Nou, na última rodada. Ficou um pouquinho mais difícil.

O brasileiro

Diego Alves
Real Madrid 2 x 2 Valencia

Diego Alves tem essa mania de sempre jogar bem contra o Real Madrid. E desta vez a atuação dele significou um tropeço importante do clube merengue, que poderia ficar muito mais próximo do título, caso vencesse o Valencia. Defendeu dez chutes do Madrid, sete deles de Cristiano Ronaldo. Não é por nada não, mas merecia um lugar naquela lista de 23 jogadores que Felipão vai divulgar na próxima quarta-feira.

>>>> Uma seleção de gols de calcanhar tão incríveis quanto o de Cristiano Ronaldo

O golaço

Cristiano Ronaldo
Real Madrid 2 x 2 Valencia

Tinha como ser outro? Cristiano Ronaldo precisou de muita criatividade para vazar Diego Alves. O cruzamento de Di María veio um pouco atrás, mas isso não é problema para o melhor jogador do mundo, que emendou um coice na bola e surpreendeu todo mundo. Golaço.

O tropeço

Chelsea 0 x 0 Norwich

Nas últimas semanas, um dos esportes mais apreciados na Europa foi jogar pedra em José Mourinho. E o português resolveu dividir um pouco da responsabilidade dos últimos fracassos com os seus jogadores. Criticou novamente os centroavantes que têm à disposição depois de passar mais de uma hora e meia tentando fazer um mísero gol no Norwich, terceira pior defesa da Premier League, e não conseguir. Sinceramente, não precisa de nenhum Van Basten para furar um ferrolho defensivo desses. E Mourinho decidiu trazer Samuel Eto’o e enviar Romelu Lukaku ao Everton. Também tem que assumir um pouco da culpa. O Chelsea está eliminado da Liga dos Campeões e só não encerrou os trabalhos em 2013/14 porque ainda pode ser campeão inglês, caso Manchester City e Liverpool consigam no máximo um ponto em duas partidas. Muito pouco provável.

>>>> Mais uma vez, o Chelsea foi frustrante contra uma equipe fraquíssima

O clássico

Milan 1 x 0 Internazionale

Nigel De Jong, do Milan (Foto: AP)

Nigel De Jong, do Milan (Foto: AP)

Melancolia. Não há forma mais precisa de descrever o dérbi de Milão. Porque os dois clubes são apenas sombras do que já foram um dia, e o jogo foi decidido com um gol de Nigel De Jong a favor do lado vermelho e preto. Pensando bem, nada poderia representar melhor o momento pouco inspirado das duas equipes. E ainda assim, em um Campeonato Italiano que foi bem equilibrado no meio da tabela, ambos podem jogar a Liga Europa na próxima temporada.

A decepção

Catania 4 x 1 Roma

A Roma fez um Campeonato Italiano excepcional. Ganhou os dez primeiros jogos e os últimos nove antes de se encontrar com o lanterna Catania. Estava em meio a um esforço admirável para manter a luta pelo título aberta o máximo possível, mas aquela tradição do clube de derrotas inexplicáveis voltou à tona. O último colocado da Serie A enfiou 4 a 1 no vice-líder e deu o título de bandeja para a Juventus, que entra em campo nesta segunda-feira já tricampeã italiana. Geralmente, uma campanha que pode chegar a 91 pontos é suficiente para garantir o título, mas há coisas que só acontecem com a Roma.

O campeão

Napoli 3 x 1 Fiorentina

Os jogadores do Napoli comemoram o título (Foto: AP)

Os jogadores do Napoli comemoram o título (Foto: AP)

A violência dos ultras ofuscou o título do Napoli na Copa Itália, mas o clube do sul da Itália deu mais uma demonstração de que é a segunda força do país nos últimos anos. Abriu 2 a 0 sobre a Fiorentina em 17 minutos e, mesmo com Gokhan Inler expulso no segundo tempo, segurou a vantagem e acabou vencendo por 3 a 1. Foi o segundo título de Copa do Napoli em três anos. Na Serie A, patinou um pouco e vai ficar em terceiro, ainda assim, mais uma vez na Liga dos Campeões.

>>>> O título do Napoli acabou encoberto pela submissão do futebol ao poder dos ultras

O craque

Leandro Chichizola
River Plate 3 x 2 Racing

Há poucos momentos em que um goleiro pode sentir uma emoção parecida à de fazer um gol decisivo no último minuto. Defender um pênalti nos acréscimos pode ser um deles. Leandro Chichizola frustrou, curiosamente, o também goleiro Sebastian Saja, do Racing, na vitória do River Plate por 3 a 2. O resultado levou o clube de Buenos Aires à liderança do Campeonato Argentino, empatado em pontos com o Gimnasia. Vida longa aos goleiros!

O matador

Juan Manuel Martínez
All Boys 1 x 3 Boca Juniors

Lembram-se dele no Corinthians, certo? Juan Manuel Martínez não era de fazer gol aqui no Brasil e continua não sendo, mas foi duas vezes às redes contra o All Boys, na vitória por 3 a 1 do oitavo colocado do Torneo Final do Campeonato Argentino. Foram seus primeiros tentos no torneio, um a mais do que todos que marcou no Inicial do ano passado. Mesmo pouco afeito aos gols, ele vem sendo um dos principais jogadores do time.

Burrito Martínez, no Boca Juniors (Foto: AP)

Burrito Martínez, no Boca Juniors (Foto: AP)