O jogão

Manchester United 0×3 Liverpool

A partida foi mais jogão pelo lado do Liverpool do que pelo lado do United, é bem verdade. Mas o futebol apresentado pelos Reds, desta vez contra o maior rival e fora de casa, levou o time de Brendan Rodgers a uma boa posição na tabela. O time tem 62 pontos e um jogo a menos que o Chelsea, que tem 66. Com a atuação de Gerrard, que marcou dois gols de pênalti, e de Suárez, autor do terceiro gol, o Liverpool mostrou que não só quer brigar por vaga na Liga dos Campeões, mas tem todas as condições de brigar pelo título.

A virada

Kawasaki Frontale 3×4 Omiya Ardija

O que dizer de um jogo que tem duas viradas, segundo que a segunda veio nos acréscimos do segundo tempo? O Omiya saiu na frente, tomou o empate, fez 2 a 1, e aí tomou a virada para 3 a 2, com o terceiro gol do brasileiro Renatinho, ex-Ponte Preta. A vitória parecia certa. Só que aí, nos acréscimos, vieram dois gols que mudaram tudo e quem comemorou no fim foi o Omiya.

A surpresa

Aston Villa 1×0 Chelsea

Quem poderia imaginar que o Chelsea, líder da Premier League, elenco fortíssimo, cairia diante do cambaleante Aston Villa? Pois é, mas caiu e com direito a expulsão de Ramires e Willian. Agora, o time pode perder a liderança para o Manchester City, que tem três jogos a menos e pode ultrapassar os Blues, já que está a seis pontos do adversário. Uma atuação que certamente será lembrada se o time não conseguir chegar ao título. Ah, e o gol que deu a vitória ao Villa foi um golaço.

O vexame

Milan 2×4 Parma

Tudo bem, o Parma vinha de 15 jogos invictos e o Milan, bem, vem de uma eliminação pesada contra o Atlético de Madrid. Só que perder como o time perdeu em casa é sempre para se parar para pensar. O futebol foi péssimo e o Parma fez a festa. Um sinal terrível sobre o momento de um time gigante em 11º no seu campeonato nacional.

A goleada

Barcelona 7×0 Osasuna

Massacrante vitória do time catalão, com direito a três gols de Messi e recorde. O argentino chegou a 371 gols e tornou-se o maior artilheiro da história do time, ultrapassando Paulinho Alcântara,q eu tinha 369. Os outros gols foram de Alexis Sánchez, Pedro, Iniesta e Tello.

A lambança

Marco Pappa
Seattle Sounders 1×2 Toronto

O meio-campista do Seattle Sounders Marco Pappa estava sendo pressionado por Michael Bradley e aí resolveu tocar para trás para recomeçar a jogada. Só não percebeu que jogou a bola onde estava o atacante Jermain Defoe, que marcou seu segundo gol. Que beleza hein, Pappa?

O craque

Bastian Schweinsteiger
Bayern de Munique 2×1 Bayer Leverkusen

Não é nenhuma novidade que o meio-campista Schweinsteiger seja destaque, mas na partida contra o Bayer Leverkusen, ele comandou o time de uma manteira exemplar. Foi ele quem mais tocou na bola, 138 vezes. Mais do que isso: ele fez o passe para um dos gols, de Mandzukic, e marcou outro, um golaço de falta, o que ajudou o time a manter uma série invicta que chegou a 50 jogos. Craque.

O brasileiro

Jonathan
Verona 0×2 Internazionale

O ala brasileiro foi destaque da Inter na vitória fora de casa contra o perigoso Verona. Participou dos dois gols, fazendo o passe para um e marcando ele mesmo o segundo. O bom desempenho do jogador tem justificado a sua presença no time titular e a confiança do técnico Walter Mazzarri, que se dá ao luxo de deixar o veterano e capitão Javier Zanetti no banco.

O matador

Diego Costa
Atlético de Madrid 1×0 Espanyol

O 22º gol de Diego Costa foi fundamental para o time. A vitória por 1 a 0 veio graças a um gol típico do jogador. Foi lançado em velocidade, ganhou no corpo e finalizou com precisão. O time manteve a segunda posição na tabela, com 67 pontos, três atrás do Real Madrid. Como a próxima rodada terá Real Madrid e Barcelona, a chance do Atlético assumir a liderança é torcer pelo time catalão.

O melhor jogo que você não viu

Everton 2×1 Cardiff

Não era dos jogos mais atraentes, ainda que o Everton venha apresentado um futebol até interessante. O jogo teve um belo gol de Deulofeu – aquele, que dizem que será um craque azul-grená um dia – e depois teve o empate do Cardiff. Tudo no segundo tempo. O Everton fez de tudo para tentar empatar e conseguiu graças a um bate rebate e um gol de Coleman, o lateral que marcou um gol de centroavante, errando o chute. Sabe aquele erro que vira acerto?