Nos seus primeiros jogos em campos europeus, Neymar impressionou bastante pelas assistências. Chegou rapidamente a ser  um dos melhores garçons do Campeonato Espanhol, embora já tenha sido ultrapassado por bastante gente. Na temporada, contando Liga dos Campeões, soma 11 passes para gol. Todo esse altruísmo foi esquecido, neste domingo, na vitória apertada do Barcelona sobre o Almería, por 4 a 1.

O brasileiro não fez boa partida. Ficou preso à ponta esquerda, movimentou-se muito pouco e demorou para soltar a bola. Várias vezes o camisa 11 tentou driblar dois ou três adversários, mesmo sabendo que os seus dribles não estavam entrando. É verdade, também, que em algumas dessas oportunidades não havia boas opções de passe, o que é raro em uma equipe que costuma se movimentar para buscar a bola.

Ele foi o jogador que mais acertou dribles em campo: oito. Só que Neymar tentou 16 vezes passar pelo adversário e conseguiu em apenas metade das vezes. Lionel Messi teve uma porcentagem maior, por exemplo. Acertou cinco de nove. Viu que a partida não estava para jogadas individuais e não insistiu. Não à toa, deu mais passes que o companheiro: 63 a 41.

O que ameniza a atuação ruim de Neymar é que o Barcelona, como um todo, não jogou muito bem, apesar do placar elástico. A diferença técnica é tão grande que golear o Almería não exige muito esforço. A equipe de Tata Martino teve bons nove minutos até Alexis Sánchez abrir o placar. Messi ampliou de falta e parece que os jogadores acharam que a partida estava resolvida, mas nenhuma estará enquanto o crônico problema com as bolas aéreas não for resolvido.

Trujillo descontou para o Almería, de cabeça. Entre esse gol e o terceiro do time da casa, de Puyol, foram 57 minutos de dúvidas sobre a capacidade do Barcelona de vencer o 17° colocado de La Liga, no Camp Nou. Xavi ainda ampliou com um raro chute de fora da área.

O clube catalão recuperou-se da derrota para a Real Sociedad, no fim de semana passado, mas novamente não atuou bem. Depois do empate entre Real Madrid e Atlético de Madrid, o resultado era importante para encostar no líder. Ele está em segundo lugar, a um ponto do maior rival, mas ainda precisa realizar acertos, principalmente na defesa. E Neyma precisa encontrar o equilíbrio entre o individual e o coletivo.