Do nada, a tarde deste sábado (no horário de Brasília – noite na Inglaterra) trouxe uma notícia para causar apreensão em todos que acompanham futebol mais a fundo. Sir Alex Ferguson foi internado durante o dia, e precisou passar por uma cirurgia de emergência, em razão de uma hemorragia cerebral, sendo colocado em coma induzido após ela. Foi o suficiente para que o futebol inglês (e por que não dizer, de todo o mundo – se mobilizasse em manifestações de apoio pela pronta recuperação de um dos técnicos mais marcantes que o futebol já viu.

Meios ingleses, como a Sky Sports, falaram em “estado grave”, mas a nota oficial divulgada pelo Manchester United esclareceu mais a situação: “Sir Alex Ferguson passou hoje por uma cirurgia de emergência, devido a uma hemorragia cerebral. O procedimento teve sucesso, mas ele precisa de um período de terapia intensiva para facilitar sua recuperação. Sua família pede privacidade, neste assunto”.

Em meio a várias declarações de força nos perfis oficiais dos clubes da Premier League, três saltaram aos olhos. Uma semana após as homenagens a Arsène Wenger – que contaram com Ferguson como protagonista -, antes do jogo entre os dois times pelo Campeonato Inglês, o Arsenal apareceu no Twitter com um saudoso “Estamos todos pensando em você, Sir Alex”. A rivalidade ficou de lado na nota do Manchester City, desejando “recuperação rápida e completa”.

Mas uma das manifestações mais notáveis entre jogadores (e foram muitos, de David de Gea a Cesc Fàbregas) veio de Edwin van der Sar. Hoje diretor geral do Ajax, o ex-goleiro holandês lembrou o momento difícil e semelhante que passou em 2009 – foi liberado por Ferguson dos treinos do Manchester United na última semana daquele ano, por causa de AVC sofrido pela esposa Annemarie, que se recuperou. E o casal verbalizou, via Twitter, o que os admiradores da carreira de “Fergie” desejam: “Devastados pelas notícias sobre Sir Alex, e sabendo bem como é a situação, por experiência própria. Siga forte, e esperamos, juntos de todos, que você se recupere. Edwin & Annemarie”.

Atualização (às 19h21): não poderiam faltar nesta nota os votos de recuperação por parte das mais conhecidas moradas futebolísticas de Sir Alex Ferguson – o Aberdeen e, óbvio, o Manchester United. Muito menos a lembrança carinhosa de quem recebeu do técnico escocês a chance fundamental: Cristiano Ronaldo.