É evidente que Yaya Touré é imprescindível ao Manchester City. Mesmo com o elenco estrelado à disposição de Manuel Pellegrini, o marfinense faz uma diferença enorme. Talvez até maior do que se supunha. A derrota para o Liverpool ou o empate com o Sunderland, pontos essenciais perdidos pelos Citizens, se deram em partidas nas quais o volante estava lesionado – contra os Reds, saiu de campo aos 20 minutos do primeiro tempo. E o impacto do retorno do craque foi imediato: coube a Touré decidir a vitória sobre o Crystal Palace por 2 a 0.

>>> O Chelsea controlou o Liverpool na marra e na mente
>>> Gerrard e o sonho de uma vida que pode ter escapado por baixo de seus pés

O Crystal Palace era um adversário muito mais difícil do que sua 11ª colocação possa indicar, ainda mais em Selhurst Park. O time de Tony Pulis vinha de cinco vitórias consecutivas na Premier League, incluindo Chelsea e Everton. Não fizeram um jogo fácil contra o City.  Só que não foram capazes de parar o talento de Yaya Touré. O marfinense ajudou Edin Dzeko abrir o placar logo aos três minutos, com um cruzamento perfeito na cabeça do bósnio. Pouco depois, ele mesmo se encarregou de balançar as redes, em um belo gol individual, acertando o ângulo.

São 19 gols e seis assistências de Touré, protagonista do City e forte candidato ao prêmio de craque da temporada na Inglaterra. Mais do que isso, ao título nacional. Com a derrota do Liverpool para o Chelsea, os Citizens voltam a depender só de si para ficar com a taça. Pegam Aston Villa e West Ham no Estádio Etihad. Porém, o maior desafio acontece longe de casa, em Goodison Park, onde visitam o Everton. A vitória será essencial. E os torcedores podem ficar um pouco mais confiantes, graças à volta de Yaya Touré já em seu mais alto nível.