Gabriel Omar Batistuta é um jogador que poderia vir com o seu nome ao lado do que é ser um centroavante. Um camisa 9 autêntico, goleador e completo. Não por acaso, se tornou referência mundial em fazer gols pelo mundo, da Argentina à Europa. Maior artilheiro da seleção argentina, ele viu o seu posto ser tomado por um incansável Lionel Messi. E ele confessou: perder essa marca incomodou muito.

LEIA TAMBÉM: Batistuta revela ter dificuldade para andar: “Dei ao futebol mais do que eu tinha”

A história de Batistuta pela seleção argentina é enorme. Atualmente com 48 anos, o atacante começou a carreira no mesmo clube de Messi, Newell’s Old Boys, um ano depois do atual astro nascer, em 1988. Jogou depois pelo River Plate, Boca Juniors, Fiorentina, Roma e Internazionale, antes de encerrar a carreira no Al-Arabi, do Catar, em 2005.

Na seleção argentina, conquistou duas vezes a Copa América, em 1991 e 1993, a Copa das Confederações em 1992 e disputou três Copas do Mundo: 1994, 1998 e 2002. Deixou a albiceleste depois da campanha decepcionante na Copa do Mundo da Coreia do Sul e Japão, que o time foi eliminado na primeira fase.

Com tudo isso, Batistuta deixou uma história de 54 gols em 77 jogos pela seleção argentina. Uma marca que Messi igualou em junho de 2016. Só que Messi precisou de 111 jogos para chegar à marca. No dia 26 de junho, Messi, acostumado a quebrar recordes, superou Batistuta ao marcar um gol de falta contra os Estados Unidos, na Copa América Centenário. Chegou a 55 gols e deixou Batistuta para trás.

Desde então, Messi já aumentou mais a sua marca. Chegou a 61 gols com a seleção argentina. A média de gols de Batistuta é maior que a de Messi, até porque Batigol conseguiu alcançar a marca de gols em menos jogos. Isso não torna a perda do recorde mais fácil de ser digerida por Batistuta, que se orgulhava do feito.

“Se me incomodou Messi tomar o meu recorde? Um pouco, sim. Bastante, não um pouco. Era um título que eu tinha, não é qualquer coisa. Você vai pelo mundo e dizem: ‘É o maior artilheiro da seleção argentina’”, confessou o ex-camisa 9 da albiceleste, em entrevista foi ao programa “PH, Podemos Hablar”, da rede de televisão Telefé.

“Lionel vai ter o dobro de gols que eu fiz. E isso é incrível”, afirmou ainda Batistuta. “A vantagem que eu tenho é que venho depois de um extraterrestre”, brincou, rindo. Curiosamente, Batistuta marcou seu primeiro gol em julho de 1991, em uma Copa América – que terminaria como artilheiro e campeão. Messi o ultrapassou em uma Copa América, 25 anos depois.

Batistuta conseguiu ser campeão pela Argentina, algo que Messi não conseguiu. Ainda. Porque tem um título que Batigol não conseguiu pela albiceleste e Messi ainda sonha: a Copa do Mundo. Será que chegou a hora, em 2018, depois de bater na trave em 2014?

No vídeo abaixo, você vê todos os gols de Batistuta pela seleção argentina. Há dois contra a Eslováquia, em um amistoso, que a Fifa não considera como gols oficiais – por isso aparecem 56, não 54.