Ibrahimovic, do PSG,e Kiessling, do Leverkusen (Fotos: AP)

Paris Saint-Germain x Bayer Leverkusen: turma de Ibra é altamente favorita

Jogo de ida: 18/02, 16h45 (Brasília)
BayArena, em Leverkusen (ALE)

Jogo de volta: 12/03, 16h45 (Brasília)
Parque dos Príncipes, em Paris (FRA)

Confrontos históricos:
Nunca se enfrentaram
O mapa da mina do Bayer Leverkusen

O Bayer Leverkusen está cabeça a cabeça com o Borussia Dortmund na briga pelo título dos mortais do Campeonato Alemão, já que o Bayern de Munique tem 16 pontos de vantagem na liderança. Não é de hoje que faz boa campanha em âmbito nacional. Desde 2009/10, fica entre os cinco primeiros da Bundesliga. Na Europa, porém, não faz campanha digna de nota desde aquela final de 2001/02. O Paris Saint-Germain é um adversário relativamente acessível, perto do que poderia enfrentar por ter ficado em segundo lugar no grupo do Manchester United. 

A esperança de gols do Leverkusen, como nos últimos anos, é Stefan Kiessling, renegado na seleção alemã, mas artilheiro da última Bundesliga, com 25 gols. O atacante de 30 anos já fez dez nesta temporada, municiado constantemente por Gonzalo Castro, autor de oito assistências, e Sidney Sam, com sete. A defesa não tem grandes nomes, mas a dupla de zaga com Emir Spahic e Philipp Wollscheid cedeu apenas 22 gols em 21 partidas e é a melhor da Alemanha.

A fase atual não anima muito. Perdeu cinco dos últimos sete jogos oficiais que disputou, seis deles pela Bundesliga, inclusive para o Freiburg, que está na zona de rebaixamento. A última derrota foi no sábado passado, para o Schalke 04. Precisa melhorar esse desempenho para incomodar os franceses.

O mapa da mina do Paris Saint-Germain

Apesar de todo o investimento do Monaco, o domínio do Paris Saint-Germain pela França permaneceu intacto. O confronto direto, no Principado, terminou 1 a 1, no dia 9 de fevereiro. O clube da capital não perde pela Ligue 1 há nove rodadas. A derrota para o Évian foi a única do atual campeão francês. O desafio é transportar esse domínio nacional para a Europa. Depois de sete anos ausente, voltou à Liga dos Campeões na última temporada e chegou às quartas de final. A expectativa do técnico Laurent Blanc é desta vez voltar às semifinais e igualar a melhor campanha do time na competição, em 1994/95.

As dores na coxa impedem que Cavani enfrente o Bayer Leverkusen, mas Blanc terá a sua principal estrela. Se a equipe alemã tem o coletivo como grande mérito, o PSG depende bastante de Zlatan Ibrahimovic, embora possa contar com outros jogadores de qualidade. O sueco marcou metade (8) dos gols franceses na Liga dos Campeões e 19 dos 58 que o time fez no Campeonato Francês, cerca de 32%. A defesa, com Thiago Silva e Marquinhos ou Alex, é forte, mas os laterais não são grande coisa. É por ali que o Leverkusen tem que atacar.