O Guarani atravessou uma semana de dor e luto. No sábado passado, o goleiro Wallace, de 22 anos, faleceu em um acidente de automóvel. Emprestado pelo Vitória, o jovem capotou seu carro na Rodovia dos Bandeirantes e não resistiu aos ferimentos, morrendo ainda no local. Depois de dias difíceis aos bugrinos, a equipe voltou a campo nesta sexta-feira, enfrentando o Batatais no Brinco de Ouro da Princesa, pela Série A-2 do Campeonato Paulista. E o que deveria ser uma homenagem singela ao companheiro acabou se transformando em um momento sublime.

Antes do jogo, as lembranças começaram a tomar conta do gramado. Os jogadores do Guarani entraram em campo usando camisas de goleiro, todas com o número 12 de Wallace. Além disso, carregavam uma faixa com o nome, o número e uma fotografia do arqueiro. Camisas foram atiradas às arquibancadas. Já o minuto de silêncio foi respeitado de maneira massiva pelo Brinco de Ouro.

Quando a partida começou, as duas equipes haviam combinado uma paralisação aos 12 minutos, em referência ao número de Wallace, para que todos pudessem aplaudir o goleiro. No entanto, justamente naquele momento, o Guarani partiu ao ataque. Após o cruzamento da direita, o meia Rondinelly apareceu na área e se esticou para abrir o placar. A comemoração se misturou aos abraços de todos os companheiros em meio ao tributo. A parada aconteceu, com as palmas ritmadas pela comemoração da torcida após o gol. O jeito mais alegre de agradecer a Wallace por seu companheirismo no clube.

“O grupo inteiro está triste. Eu convivi mais com ele na chegada, saindo para jantar, indo e vindo para o treino. Foi uma perda muito grande, um jovem promissor, pai de família. Senti muito, mas a vida tem que seguir. O que podemos fazer é continuar e dedicar as vitórias para ele. Fica a homenagem. O Wallace nunca será esquecido por nós e tenho certeza que vai estar torcendo para a gente lá em cima”, declarou Rondinelly.

No intervalo, o Guarani também prestou condolências à família de Wallace. O presidente do clube entregou um quadro com a camisa 12 à mãe do goleiro. O número não será usado até o fim da disputa da Série A-2. Terceiro colocado na competição, ocupando a zona de acesso, o Bugre derrotou o Batatais por 3 a 2.

Foto: Letícia Martins / Guarani Press