Dizem que a definição de insanidade é fazer a mesma coisa diversas vezes esperando resultados diferentes. A frase nunca chegou aos ouvidos da diretoria do São Paulo, pelo jeito. Depois de um ano muito atribulado, sem títulos, mas com risco de rebaixamento, quase nada mudou no Morumbi e o time e já começou 2014 dando razão a Albert Einstein, autor da pílula de sabedoria que abriu o texto.

O treinador é o mesmo, os diretores são os mesmos e os jogadores são quase os mesmos. Luís Ricardo chegou da Portuguesa e Álvaro Pereira veio da Inter de Milão. Reforços para as duas laterais. Por outro lado, o atacante Aloísio foi para a China. O Boi Bandido está longe de ser um craque, mas fez gols importantes ano passado e foi um dos melhores jogadores do São Paulo – o que sublinha como a temporada tricolor foi ruim.

Neste domingo, Luís Ricardo estreou na primeira rodada do Campeonato Paulista contra o Bragantino, fora de casa, e foi substituído no segundo tempo por Douglas, para aumentar a sensação de déjà vu. Em Bragança Paulista, Muricy Ramalho conseguiu fazer seus 11 jogadores ficarem com a bola por cerca de 70% do tempo. No Campeonato Mundial de Posse de Bola isso seria muito importante, mas, no Paulista, não é tanto.

O Bragantino defendeu-se, deixou o adversário trocar passes na intermediária e matou o jogo quando teve a oportunidade:  2 a 0, sem grandes sustos. Luis Fabiano mais uma vez deixou a desejar. Paulo Henrique Ganso não repetiu as boas atuações do fim da temporada passada e ainda precisa entrar no ritmo.

Achar que tudo será diferente porque 2013 transformou-se em 2014 é superestimar  os poderes do réveillon. O São Paulo precisa de contratações, principalmente para a defesa e para o ataque, se quiser voltar a brigar pelos títulos, e é apenas nisso que um clube desse tamanho deveria pensar. A análise não se baseia em um jogo, na estreia, mas em todo ano passado. Escapar do rebaixamento novamente seria muito pouco.