Dos 23 convocados por Luiz Felipe Scolari para a Copa do Mundo, Bernard só atuou mais vezes em 2014 do que o goleiro Júlio César. O ponta do Shakhtar Donetsk entrou em campo apenas 12 vezes neste ano, contra sete jogos do goleiro. Mesmo assim, o veterano soma mais minutos no gramado do que o prodígio, 720 contra 589. E não dá nem para usar a crise política vivida na Ucrânia como desculpa. Mesmo ficando de fora de apenas um jogo de seu time em 2014, Bernard começou no banco de reservas em oito partidas. Sua sorte é que os olhares para o Campeonato Ucraniano são mínimos. Assim como suas atuações pelo Atlético Mineiro e na Copa das Confederações foram impressionantes o suficiente para torná-lo pouco contestado na convocação final.

Pois Bernard tratou de dar sua resposta aos críticos de maneira imediata. Enquanto Felipão soltava a lista na sede da CBF, o mineiro estava em campo pela Copa da Ucrânia, titular em um confronto de menor importância para o Shakhtar. E deixou sua marca na vitória por 3 a 0 sobre o Slavutych Cherkasy, que garantiu o clube na decisão do torneio. Minutos depois de ter seu nome revelado entre os convocados, o atacante fez boa jogada individual e chutou de fora da área, fechando o placar na prorrogação.

Levando em conta o ritmo de jogo e a produtividade, com apenas três gols e sete assistências em 26 partidas (só 11 como titular), Bernard é quem menos justificou em campo nesta temporada sua presença no elenco. Não dá para negar, no entanto, que o brilho do mais jovem desta Seleção apareceu no momento certo.

O gol é o último do vídeo, a partir de 2:30, após Eduardo da Silva e Taison terem marcado: