Um homem mulato de 28 anos, barbudo, com óculos e pinta de intelectual, tira de uma máquina de lavar roupas uma camisa com listras alvinegras, número 7 às costas. Modelo retrô em homenagem a um ídolo, o “torto” que driblava como o demônio. O homem torce a camisa com sutileza, porque parece que é seu maior tesouro. Um equatoriano barbudo que também está na lavanderia pergunta:

- Você também gosta do Garrincha?

Ele beija o escudo, sem se importar que a camisa ainda está úmida, e responde:

- Não só do Garrincha, mas do Botafogo. É um jeito de ser.

O equatoriano fala sobre sua paixão: “La Academia del Fútbol ecuatoriana, la Noble Institución, el Deportivo Quito”.

Veja a história completa no Impedimento