Kaká

A boa atuação de Kaká ajudou a salvar o Milan de mais erros da defesa

É injusto colocar nas costas de Seedorf. O holandês assumiu faz pouco temo e às vezes tem que colocar Daniele Bonera na zaga porque o elenco do Milan não é grande coisa, mas a defesa do clube italiano é o principal problema dessa campanha que deixa o gigante de Milão no marasmo do meio da tabela do Campeonato Italiano.

Neste domingo, mais uma vez ela falhou. O drible que Bonera levou de Ciro Immobile, tenha ele escorregado ou não, foi infantil. Pouco depois, Alexander Farnerud teve uma chance clara, debaixo da trave, mas cabeceou por cima. Era para o Milan estar perdendo, em casa, por 2 a 0, aos 29 minutos do segundo tempo.

Porque ofensivamente o time não está tão mal, e no caso específico do empate por 1 a 1 contra o Torino, graças ao brasileiro Kaká. Os chutes de longa distância estavam afiados, e ele quase marcou um golaço no final do primeiro tempo. No começo do segundo, novamente de longe, colocou a bola bem próxima do ângulo. Ainda deu um passe brilhante para um gol bem anulado de Robinho, movimentou-se e arrancou como se ainda tivesse 26 anos. Foi uma partida muito boa do brasileiro que ainda tenta convencer Luiz Felipe Scolari de que merece uma vaga na Copa do Mundo.

Kaká tocou na bola 66 vezes, o mais participativo dos jogadores do ataque do Milan. Deu cinco chutes a gol e três passes para os companheiros finalizarem. Também foi o melhor passador da equipe, com 41 tentados e um índice de aproveitamento de 88%.  Deu três dribles e foi o melhor dos anfitriões em campo.

Faltou um pouco de ajuda para que o Milan conseguisse a virada. Robinho não esteve nos seus melhores dias, errando a maioria das jogadas, tentando dribles na hora errada e finalizando mal. Riccardo Montolivo não deu suporte na armação, e Giampaolo Pazzini, em alguns momentos do jogo, teve dificuldades até para ficar de pé.

De qualquer forma, a produção ofensiva foi boa, com 23 chutes ao gol, mas também faltou pontaria, porque o goleiro Daniele Padelli precisou lidar com apenas seis deles. A maioria – 12 – parou na defesa do Torino, que se fechou muito bem para segurar o empate.

O time vinha de duas vitórias seguidas na Serie A. Tem 29 pontos, está em nono lugar, e pode ser ultrapassado por Lazio e Genoa, que jogam neste domingo. Natural. Adil Rami, que foi contratado no mês passado, não foi tão mal e até marcou o gol do empate. O setor, porém, está longe de passar confiança e permitir que Seedorf sonhe em disputar sua primeira competição europeia como técnico na temporada que vem.