O Bordeaux estava invicto no Campeonato Francês, após sete rodadas. Havia vencido quatro partidas e empatado outras três. Um bom começo, mas a primeira derrota chegou. E chegou fazendo barulho suficiente para causar uma baita dor de cabeça: no confronto contra o líder Paris Saint-Germain, levou 6 a 2, no Parque dos Príncipes, com direito a cinco gols no primeiro tempo.

LEIA MAIS: Vitória categórica sobre o Bayern é a mensagem que o novo PSG precisava mandar

Os desafios domésticos estão sendo superados um a um com folga pelos comandados de Unai Emery, que enfileiraram seis gols em uma mesma partida da Ligue 1 pela segunda vez, em oito rodadas. O primeiro jogo mais difícil foi contra o Saint-Étienne: 3 a 0. O segundo, diante do Lyon: 2 a 0. Agora, contra o Bordeaux, uma goleada implacável, construída com tranquilidade.

Se o pivô da polêmica entre Neymar e Cavani era a bola parada, o brasileiro reforçou sua candidatura para se tornar o cobrador oficial da equipe com um golaço de falta, aos 5 minutos, e outro de pênalti, aos 40. Assim que marcou o quarto do PSG, Neymar virou para Cavani, e os dois se cumprimentaram, passando a mensagem de que a discussão entre os dois está, por enquanto, superada.

O recital do Paris Saint-Germain ainda teve uma boa apresentação de Draxler, autor de uma pintura, pouco antes do intervalo, e de uma linda assistência para Mbappé fazer o sexto, na etapa final. E o gol de Cavani também vale ser visto e revisto por causa da excelente ação coletiva do PSG. Meunier foi o responsável pelo outro tento dos parisienses.

O Bordeaux chegou a descontar para 3 a 1, com Sankharé, aos 31 minutos do primeiro tempo, e teve duas boas oportunidades na sequência para voltar ao jogo. Mas as desperdiçou e foi amplamente superado pelo poder de fogo do Paris Saint-Germain.

.

.

.

.