Os chineses estão longe de apresentar jogadores de qualidade ao exterior, mas os clubes do país têm conseguido atrair bons atletas estrangeiros à liga nacional. É evidente que eles tornam o produto Campeonato Chinês mais valioso, aumentam a participação dos torcedores, e também ofuscam os pontos positivos dos jogadores locais. Mas não há outro caminho para se alcançar o desenvolvimento e os chineses estão fazendo tudo certo. E, com metade da temporada 2014 transcorrida, percebe-se o domínio dos atletas de fora na principal competição nacional, em especial os brasileiros. Dos 518 jogadores distribuídos nos elencos dos 16 times da primeira divisão, 76 são estrangeiros, ou 14,6%.

LEIA MAIS: Seleção japonesa não foi bem na Copa, mas Kakitani conseguiu transferência para Europa

Os forasteiros mais valiosos no mercado pertencem ao Guangzhou Evergrande, que lidera a competição após 15 rodadas disputadas, com 36 pontos (11v, 3e, 2d), cinco de vantagem para o Beijing Guoan e 11 à frente do Shandong Luneng, aquele que pretendia ser o rival na disputa do título. Alessandro Diamanti deixou o Bologna para ganhar alguns milhões a mais na China e hoje é avaliado em 4,84 milhões de libras. Seu companheiro e compatriota, o atacante Alberto Gilardino preferiu sair do Genoa e defender a equipe chinesa, aos 32 anos – vale 4,4 milhões de libras. Logo depois aparecem os brasileiros, que além de serem bem avaliados financeiramente também vêm tendo bom desempenho dentro das quatro linhas. Alguns deles caberiam no seu time, enquanto outros.

Contrata logo!

Vágner Love (Shandong Luneng): aos 30 anos, o atacante vale quase 4 milhões de libras e já participou de dez partidas, nove como titular. São oito gols anotados, sendo os três da vitória diante do Beijing Guoan, o segundo colocado, fora de casa. É o quinto na artilharia.

Elkeson (Guangzhou Evergrande): o ex-atacante de Vitória e Botafogo mostrou qualidade no Brasil, mas é claro que se destaca desde o ano passado na China em razão do nível do futebol naquele país. Mesmo assim, são números impressionantes… Elkeson jogou todas as 14 partidas, 12 como titular, marcando 12 vezes. O atleta também fez hat-trick, no jogo contra o Hangzhou Greentown, na vitória de 4 a 1, fora de casa.

Paulo André (Shanghai Greenland): não que o zagueiro de 30 anos seja excelente nos desarmes ou nas jogadas aéreas, mas a experiência de Paulo André seria importante em vários clubes da Série A. E a presença do jogador no Brasil também poderia fazer avançar mais as propostas do Bom Senso FC, não é mesmo? São 13 jogos disputados, todos como titular.

Vale a aposta!
Bruno Meneghel está fazendo bom papel na China

Bruno Meneghel está fazendo bom papel na China

Dori (Harbin Yiteng): revelado na base do Fluminense e uma das promessas do clube, Dori pouco jogou no profissional e foi emprestado a outros clubes, sem sucesso. Está no futebol chinês pelo terceiro ano, mas vem se destacando em 2014. Mesmo atuando no lanterna do torneio, Dori já marcou sete gols em 14 jogos, um hat-trick, sendo titular absoluto. É mais da metade dos gols do time, que tem 15. Aos 24 anos, Dori ainda é novo e pode ser uma aposta para o banco.

Bruno Meneghel (Dalian Aerbin): o atacante nunca se firmou num clube de ponta no Brasil, mas foi bem com as camisas de Náutico e América Mineiro. Na China há três temporadas, Bruno Meneghel tem velocidade e continua marcando muitos gols. São seis nos 13 jogos que fez pelo 11º colocado na liga nacional, aos 27 anos, o que lhe dá chance de jogar num time de médio porte do Brasil.

Hyuri (Guizhou Renhe): o jovem ex-botafoguense de 22 anos se precipitou demais ao deixar o Brasil rumo ao futebol chinês. Ele estava bem no Botafogo e poderia ter continuado a evoluir. Na China, ele até vem tendo bom desempenho, sendo titular em 13 dos 14 jogos disputados, com cinco gols. Porém, são sete amarelos e ele precisa de amadurecimento, que poderia ter sido feito no Brasil. Quem sabe alguém não dispõe a ajudar Hyuri?

Andrezinho (Tianjin Teda): alguns podem não gostar do ex-jogador de Inter e Botafogo, atualmente com 30 anos. Mas Andrezinho é importante para o meio-campo, mesmo que não sirva para ser o camisa 10. Ele tem 14 jogos na China, sete como titular, num período de adaptação.

Júnior Urso (Shandong Luneng): o volante não é unanimidade no Coritiba, mas parte da torcida gosta dele. O atleta de 25 anos tem boa saída de bola, mas às vezes comete erros infantis. São 15 jogos na China e todos como titular, e talvez fosse legal dar uma chance para Júnior Urso em razão da idade.

Renê Júnior (Guangzhou Evergrande): o volante-volante sempre se destacou na parte defensiva com a camisa do Santos. O jogador de 24 anos dificilmente erra passes ou se equivoca na hora de desarmar, mas fica só nisso, sendo improdutivo no ataque. Mas Renê Júnior ainda é novo e esteve mal em parte de sua passagem no Santos por causa da questão física, bastante necessária em sua função no campo.

Não vale a pena!
Apostar em Rafael Marques? Melhor não

Apostar em Rafael Marques? Melhor não

Aloísio (Shandong Luneng): ele apareceu muito bem no Figueirense, o que o levou rapidamente ao São Paulo. No Tricolor, o Boi Bandido também teve algum destaque, tanto que conseguiu contrato na China, mas não vale a pena apostar no atacante de 26 anos por causa dos altos valores envolvidos. Aloísio tem quatro gols em 13 partidas, sete como reserva.

Rafael Marques (Henan Jianye): lembra do jejum que o ex-botafoguense protagonizou no ataque da equipe? Depois ele até melhorou bem, mas foi melhor o Botafogo deixá-lo ir para a China. E na Ásia acontece o mesmo problema: em sete jogos, Rafael Marques ainda não balançou as redes, mesmo sendo titular. Aos 31 anos, não vale apostar nele mais.

Perna-de-pau!

Anselmo Ramon (Hangzhou Greentown): quando era novo, o atacante do Cruzeiro (ele ainda pertence ao clube mineiro) cometia seus erros e talvez fosse pela idade. Mas, com 26 anos, o veredicto é que Anselmo Ramon não é jogador para a Série A, no máximo uma Série B. Na China, ele até vem tendo bom desempenho, já que são oito gols marcados em 15 jogos, com a camisa do nono colocado. Anselmo Ramon chegou a fazer cinco gols em quatro partidas seguidas.

Rafael Coelho (Changchun Yatai): o atacante apareceu tão bem no Figueirense que o Vasco da Gama achou que estava contratando um craque. Mas o atacante, hoje com 26 anos, não retribuiu em campo e acabou indo para o Avaí, onde também não rendeu. Com apenas dois gols em 14 jogos, nove como titular, é melhor que Rafael Coelho continue na China.

Elias (Jiangsu Sainty): o atacante de 27 anos é daqueles jogadores que roda por times de menor expressão e de repente dá a sorte de se destacar e ganha oportunidade numa equipe maior. No Botafogo, Elias até teve bons momentos, mas isso iria acabar rápido e ele fez certo em sair rumo ao dinheiro chinês. Está no lugar correto.

Curtas

– Dos 76 estrangeiros no Campeonato Chinês, 25 (a maioria) é de brasileiros. Há os famosos, como os citados acima, mas também existem os que nunca fizeram sucesso no Brasil. O atacante Baré já jogou até Mundial de Clubes da Fifa, mas defendeu apenas Guarani, Grêmio e Botafogo de Ribeirão Preto, sem sucesso. Paulo Henrique atuou na base do Atlético Mineiro e desde cedo foi para a Holanda. Estava no Trabzonspor e tem 25 anos. Gilberto Macena só vestiu a camisa do Comercial no Brasil e está no exterior desde 2005/06.

– A invasão de estrangeiros não acontece apenas entre os jogadores. Os técnicos de fora também ocupam grande espaço: são nove treinadores nos 16 times da elite chinesa, com destaque para o sueco Sven-Göran Ericksson (Guanzghou R&F), o italiano Marcelo Lippi (Guanzghou Evergrande) e Cuca (Shandong Luneng). São seis chineses.

Você também pode se interessar por:

>>>> Palestina é o melhor asiático do momento. Entenda por que isso não é nenhum absurdo

>>>> Os números que mostram o fracasso asiático na Copa

>>>> Austrália fez muito mais do que se imaginava na Copa do Mundo