José Mourinho poupou jogadores para enfrentar aquele que seria, em tese, o adversário mais tranquilo dos grandes nas quartas de final da Copa da Liga Inglesa. Enquanto Arsenal, Manchester City e Chelsea pegaram equipes da Premier League, os Red Devils mediram forças com o Bristol City, terceiro colocado da segunda divisão. Mas o futebol tem esse hábito de desprezar as teses. Com um gol aos 48 minutos da etapa final, quando parecia inevitável uma prorrogação, o Bristol venceu o atual campeão do torneio por 2 a 1 e chegou às semifinais, nas quais vai encarar o Manchester City.

LEIA MAIS: Bayern, Juve, Real e United ganham quarto uniforme, disponível apenas no Fifa 18

Não é um clube de grandes glórias. Tem duas passagens pela elite do futebol inglês, no começo do século 20 e no fim da década de setenta. Em 1906, foi vice-campeão do Newcastle, sua melhor posição em todos os tempos. Esta é a terceira temporada seguida do Bristol City na Championship, depois do acesso como campeão da League 1, em 2014/15.

A fase, porém, é excelente. A vitória sobre o Manchester United foi a quinta seguida na temporada para o Bristol City, que perdeu apenas um jogo dos últimos 11, com nove triunfos. Neste embalo, alcançou a semifinal da Copa da Liga Inglesa pela terceira vez. Em nenhuma das outras duas – em 1971 contra o Tottenham de Bill Nicholson, e em 1989, contra o Nottingham Forest de Brian Clough – conseguiu chegar à grande decisão.

Mourinho aplicou um rodízio normal para partidas de Copa, dando oportunidade rara a alguns jogadores, como o jovem Scott McTominay e o goleiro Sergio Romero. Pogba estava em campo, e o ataque tinha Rashford, Martial e Ibrahimovic. Mas o português identificou certa indolência do seu time. “No primeiro tempo, não tivemos a intensidade deles. Física e mentalmente, era um dia como qualquer outro para meus jogadores, um dia em que alguns deles nem queriam trabalhar”, criticou.

Ainda assim, foi uma etapa inicial bem aberta. O Manchester United teve as chances mais perigosas, acertando o travessão com Ibrahimovic e Rashford. Mas o Bristol City respondeu à altura. Teve um gol anulado de Aden Flint e exigiu que Blind desse um carrinho perfeito para impedir que Korey Smith abrisse o placar. Mas realmente foi o Bristol City o primeiro a mexer no placar. E em grande estilo.

Foi um golaço dos donos da casa. A bola foi bem trabalhada no meio-campo até chegar a Marlon Pack, que lançou Joe Bryan entre a defesa do Manchester United. De um lugar de onde poucas vezes se espera uma finalização, Bryan encheu o pé, um potente chute cruzado sem chance nenhuma para Romero.

 

O United, porém, não demorou muito para empatar. Sete minutos depois, Ibrahimovic soltou o pé em uma cobrança de falta da entrada da área e marcou o seu primeiro gol na temporada, o primeiro desde a grave lesão que o afastou dos gramados durante meses. Mas o retorno de Ibra seria ofuscado pelo bravo Bristol City.

 

Mourinho trocou Pogba por Lukaku e melhorou sua presença dentro da área. Quase funcionou. O atacante belga exigiu duas lindas defesas de Luke Steele, com um chute rasteiro e uma cabeçada, ambos muito perigosos. Mas, nos acréscimos, o Bristol City marcou outra vez em uma jogada bem trabalhada. Korey Smith deixou com  Matt Taylor e entrou na área. Recebeu o passe em elevação,  achou Korey Smith dentro da área. Smith dominou no peito, girou e fechou a maior zebra da rodada na Copa da Liga Inglesa.

 

O técnico Lee Johnson comemorou com a galera.

E a torcida invadiu o gramado para comemorar.