Um novo sistema para o futebol traz consigo novos personagens. O árbitro de vídeo é comandado por um profissional do apito, e na Alemanha, por trás de todos eles, existem supervisores. O principal deles, Hellmut Krug, foi retirado do cargo de administrador do projeto do assistente de vídeo, depois de acusações do jornal Bild de que ele estaria favorecendo o Schalke.

LEIA MAIS: Robben foi um pesadelo ao Dortmund, em grande triunfo do Bayern no Signal Iduna Park

A polêmica gira em torno do empate por 1 a 1 do Schalke 04 contra o Wolfsburg, em 28 de outubro. Bentaleb abriu o placar, em um pênalti assinalado com interferência do VAR, no final do primeiro tempo. Mais tarde, houve um toque de mão de Thilo Kehrer, dentro da área da equipe de Gelsenkirchen, e não houve intervenção do sistema de vídeo.

As acusações, em si, podem ser contestadas, porque o Bild não é o jornal mais confiável do mundo, mas a Federação Alemã agiu apenas dois dias depois da publicação da reportagem. A DFB emitiu um comunicado informando que o projeto será agora liderado pelo diretor de arbitragem Lutz Michael Fröhlich, “devido à sua grande importância para o futebol alemão e a recente irritação em termos do seu modelo”.

Em declarações ao próprio Bild, o vice-presidente da entidade, Ronny Zimmermann, acrescentou dois motivos. “Neste momento, não sabemos quem começou esses rumores e queremos evitar que isso aconteça novamente. Também acreditamos que não precisamos mais do cargo de supervisor nesta função atual”, disse.

Há um centro do sistema, em Colônia, onde ficam os supervisores, que tinham contato direto com o árbitro de vídeo. Isso também mudou. “Eles não terão mais comunicação direta com os assistentes de vídeo durante os jogos”, explicou a entidade, em seu comunicado. Ela, porém, fez questão de ressaltar que o assistente de vídeo sempre tomou sozinho a decisão de enviar ou não informações ao árbitro de campo.

Hellmut Krug disse a mesma coisa ao Bild: “Como supervisores, não temos poder de influenciar a decisão do árbitro de vídeo ou mesmo anulá-la”. O ex-árbitro Krug nasceu em Gelsenkirchen e tem o seu escritório próximo da Veltins Arena, o que reforçou as suspeitas.

Tem havido confusão na Alemanha a respeito das intervenções do árbitro de vídeo. Principalmente em que situações isso deveria acontecer. A recomendação da Fifa é para lances de gol, pênaltis, cartões vermelhos e na identificação do receptor das advertências. Houve, segundo a Kicker, uma carta enviada aos clubes, por volta da quinta rodada, com orientações mais amplas, uma “correção de curso”, e outra, duas semanas atrás, com esclarecimentos.

A Federação Alemã também esclareceu isso em seu comunicado. Essas orientações agora tornaram-se obsoletas. “O assistente de vídeo só tem que ser ativado se houver um erro de percepção em cenas cruciais”, afirmou a entidade.