ECUADOR BRAZIL PARAGUAY UNDER 20

O que aconteceu com os centroavantes das nossas seleções de base

A função primordial das seleções de base é preparar os jogadores para a equipe principal. Ganhar títulos é importante, claro, mas uma questão menor quando o processo de formação dá resultados para o time de cima, garante experiência internacional ao futuro craque. Entre os atuais titulares da seleção brasileira, Neymar, Júlio César, Daniel Alves e Marcelo estão entre os que mais evoluíram nas equipes menores. E, se hoje existe uma carência entre os centroavantes, não foi por falta de jogadores que se destacassem na base.

>>> Tema da semana: A busca pelo camisa 9 da seleção
>>> A seleção tem uma interrogação no ataque, mas também está muito mal acostumada

Adriano, Nilmar, Vágner Love, Diego Tardelli, Bobô, Alexandre Pato, Jô e Leandro Damião. Oito centroavantes que defenderam a seleção sub-20 ou a olímpica e chegaram ao time principal em algum momento da carreira. Destes, só dois parecem com chances reais de disputar a Copa de 2014. É muito pouco. Ainda mais quando se considera que quase todos tinham potencial ao menos de disputar uma vaga na convocação final de Felipão e, por diferentes razões (falta de sequência, de visibilidade ou mesmo problemas psicológicos), ficaram pelo caminho.

Nas próximas linhas, apresentamos todos os camisas 9 que disputaram as principais competições com a seleção sub-20 ou com a olímpica e permanecem na ativa. Por que não vingaram na seleção principal? A sequência da carreira de cada um ajuda a responder a questão – ainda que, para alguns, o declínio ainda pareça inexplicável. Confira:

Rodrigo Gral

Sul-Americano e Mundial Sub-20 de 1999
Revelado pelo Grêmio
Atualmente na Chapecoense

O mais velho entre todos os centroavantes listados, Rodrigo Gral na verdade era dois anos mais velho do que seus documentos apontavam em 1999, quando foi destaque da seleção sub-20 quadrifinalista do Mundial. Nunca cumpriu as expectativas criadas no Grêmio e passou boa parte da carreira no Japão e no Catar.

Fernando Baiano

Mundial Sub-20 de 1999
Revelado pelo Corinthians
Atualmente no Mogi Mirim

Fernando Baiano já era badalado no Corinthians quando foi chamado para ser o camisa 9 do Brasil no Mundial Sub-20. Teve uma boa participação, artilheiro do time ao lado de Ronaldinho Gaúcho e Edu Schmidt, todos com três gols. Depois, defendeu Internacional e Flamengo, atuou na Europa e no Oriente Médio, sem nem passar perto da seleção principal. Agora, se encaminha para o fim da carreira no Mogi Mirim.

Adriano

Sul-Americano e Mundial Sub-20 de 2001
Revelado pelo Flamengo
Atualmente no Atlético Paranaense

O centroavante da base que teve mais rodagem na seleção principal. Adriano era a grande referência do time de Carlos César no Mundial Sub-20 de 2001. Já tinha feito sua estreia na seleção principal em partida contra a Colômbia pelas Eliminatórias, mas não levou a equipe além das quartas de final no torneio de juniores. Só quando já estava no futebol italiano é que começou a ser convocado com mais frequência. Protagonista na Copa América de 2004 e na Copa das Confederações de 2005, acabou no banco da Copa do Mundo de 2006. Foi quando os seus problemas psicológicos se tornaram mais frequentes. Ainda quase foi ao Mundial de 2010 com Dunga, mas saiu fora da linha no Flamengo e foi preterido por Grafite.

Nilmar

nilmar

Mundial Sub-20 de 2003 e Pré-Olímpico de 2004
Revelado pelo Internacional
Atualmente no Al-Jaish

Foi o sucesso no Internacional que levou Nilmar ao Mundial Sub-20, logo vestindo a camisa 10. Em uma equipe na qual se movimentava bastante no ataque ao lado de Kleber, anotou três gols e foi um dos destaques na campanha que deu o título ao Brasil. Manteve-se em alta, fazendo parte da seleção olímpica e chegando ao elenco principal no ano seguinte. Viveu sua maior sequência com Dunga, quando foi reserva na Copa de 2010. Sua última convocação foi já com Mano Menezes, pouco antes da Copa América de 2011.

Kléber

Mundial Sub-20 de 2003
Revelado pelo São Paulo
Atualmente no Grêmio

O Gladiador também fez parte da geração campeã mundial em 2003. Não disputou o Sul-Americano e foi um dos chamados por Marcos Paquetá para complementar o grupo, mas acabou ganhando a posição que era de Dagoberto. Vendido ao Dynamo Kiev pouco depois, não ganhou uma chance na seleção de cima nem mesmo quando vivia seus melhores momentos por Palmeiras e Cruzeiro.

Vágner Love

love

Jogos Pan-Americanos de 2003
Revelado pelo Palmeiras
Atualmente no Shandong Luneng

Love já era o destaque do Palmeiras quando começou a ser chamado para a seleção sub-20 – e, por isso mesmo, acabou perdendo o Mundial. Mais pelos serviços prestados no clube do que com os juniores, o atacante passou a figurar na seleção principal a partir de 2004, fazendo parte do elenco que conquistou a Copa América. Também foi o primeiro eleito por Dunga para sanar o problema da camisa 9 logo após a Copa de 2006, com as ausências de Ronaldo e Adriano, mas acabou perdendo espaço para Luís Fabiano.

William

Sul-Americano Sub-20 de 2003 e Jogos Pan-Americano de 2003
Revelado pelo Santos
Atualmente no Al-Khor

Ganhando espaço nos ‘Meninos da Vila’ do Santos, William foi convocado para o Sul-Americano Sub-20 e para os Jogos Pan-Americanos, mas não fez parte do elenco no Mundial. Peregrinou por Portugal, Coreia do Sul, França e vários clubes brasileiros, sendo mais bem aproveitado na Ponte Preta e no Avaí.

Marcelo Nicácio

Jogos Pan-Americanos de 2003
Revelado pelo Bahia
Atualmente no Al Faysaly

Apesar de ter feito parte do ciclo na preparação ao Sul-Americano e ao Mundial, acabou engolido pelos concorrentes e só teve vez no Pan, quando foi opção a Vágner Love e William. Seus principais clubes foram Bahia, Atlético Mineiro e Vitória. Sem nunca cumprir a promessa da base, hoje caça-níqueis na Arábia Saudita.

Marcel

Pré-Olímpico de 2004
Revelado pelo Coritiba
Atualmente no Criciúma

Centroavante de muita força física, foi o escolhido por Ricardo Gomes para o Pré-Olímpico de 2004, ganhando a posição apenas no quadrangular decisivo – quando o Brasil não conseguiu se classificar às Olimpíadas. Deixou o Coritiba logo naquele ano e não se firmou em mais nenhum clube, com passagens pouco produtivas por São Paulo, Grêmio, Cruzeiro, Vasco e Santos – também transitou por Portugal, Coreia do Sul e Japão. Desde 2013 está no Criciúma.

Bobô

Mundial Sub-20 de 2005
Revelado pelo Corinthians
Atualmente no Kayserispor

Campeão da Copa São Paulo, Bobô já tinha experiência no time principal do Corinthians quando disputou o Mundial Sub-20 de 2005. Era o centroavante titular da equipe, mas não marcou um gol sequer na campanha que terminou com o terceiro lugar. Viveu seu melhor momento no Besiktas, onde se tornou um dos maiores artilheiros da história. Um sucesso que o fez ser chamado por Dunga para a seleção em 2008, ainda que não tenha jogado. Deixado de lado pelo Besiktas, teve passagem meteórica no Cruzeiro e hoje faz seus gols pelo Kayserispor.

Diego Tardelli

tardelli

Mundial Sub-20 de 2005
Revelado pelo São Paulo
Atualmente no Atlético Mineiro

Tardelli não era é o centroavante do Atlético Mineiro atualmente, embora já tenha feito por muito tempo essa função. Naquele Mundial Sub-20, por exemplo, ele era o reserva de Bobô, entrando sempre no segundo tempo – e anotando um gol importante contra a Alemanha, nas quartas de final. Suas únicas chances na seleção principal vieram a partir de 2009, na prolífica primeira passagem pelo Galo. Foram quatro jogos com Dunga e um com Mano Menezes, sem se firmar. Depois de jogar no Anzhi e no Al Gharafa, só voltou a ter visibilidade quando desembarcou novamente no Atlético, em 2013.

Thiago Quirino

Sul-Americano e Mundial Sub-20 de 2005
Revelado pelo Atlético Mineiro
Atualmente no Al Shaab

Quirino era daqueles típicos jogadores da base que ganham espaço rapidamente pela maturação acelerada. Muito forte fisicamente, era reserva tanto no Mundial quanto no Sul-Americano Sub-20. Mas a falta de talento minou suas oportunidades no Galo rapidamente. Depois disso, foi fazer carreira na Suécia e no Japão, onde viveu seus melhores momentos no exterior. Desde o início da temporada está no Al-Shaab, dos Emirados Árabes Unidos.

Bruno Mezenga

Sul-Americano Sub-20 de 2007
Revelado pelo Flamengo
Atualmente no Akhisar Belediyespor

Sem Jô à disposição, o camisa 9 do Brasil no Sul-Americano Sub-20 de 2007 foi Bruno Mezenga, jogador experiente nas seleções de base. Ofuscado por Pato na competição, sequer foi chamado para o Mundial e começou sua carreira de peregrino, passando por Turquia, Polônia e Sérvia. O melhor momento aconteceu no Orduspor, quando foi artilheiro da segunda divisão turca. O sucesso o fez voltar ao país em 2013, levado pelo Akhisar Belediyespor.

Alexandre Pato

pato

Sul-Americano e Mundial Sub-20 de 2007, Olimpíadas de 2008 e 2012
Revelado pelo Internacional
Atualmente no São Paulo

Depois das aparições no Mundial de Clubes de 2006, Pato já era uma estrela quando passou a fazer parte da seleção sub-20. E, apesar da campanha desastrosa da equipe, acabou eleito entre os melhores do Mundial Sub-20 de 2007, quando era mais um segundo atacante no apoio de Jô. Camisa 9 no bronze olímpico de 2008, seguiu como nome cativo na seleção de Dunga até as vésperas da Copa de 2010, quando acabou esquecido. Voltou a figurar na equipe com Mano Menezes e também era uma aposta de Felipão, até a fase ruim minar as chances. Sua última convocação foi em setembro, contra a Austrália.

Edgar

Sul-Americano Sub-20 de 2007
Revelado pelo Joinville
Atualmente no Al-Shabab

Outro centroavante que só teve espaço no Sul-Americano Sub-20. ‘Edgol’, como era apelidado, era o reserva naquela campanha, lembrado mais pelos gols perdidos no fim dos jogos. Com 1,90 m, o garoto se destacava mais pela altura do que pelo talento. Chegou a receber uma chance no São Paulo e voltou ao Brasil em 2009 com o Vasco, mas não deixou saudades em nenhum dos dois. Fez a maior parte da carreira em Portugal, chegando a defender o Porto, mas atualmente garante seu pé de meia nos Emirados Árabes.

Luiz Adriano

Sul-Americano e Mundial Sub-20 de 2007
Revelado pelo Internacional
Atualmente no Shakhtar Donetsk

Outro destaque do Internacional no Mundial de Clubes, Luiz Adriano já tinha sido vendido ao Shakhtar na época do Mundial Sub-20, no qual foi reserva. Adaptou-se bem à Ucrânia e logo passou a ser a principal referência do ataque dos Kroty, anotando pelo menos 15 gols por temporada nos últimos quatro anos. Mesmo sob as acusações da ‘cota Shakhtar’ na época de Mano Menezes, nunca foi chamado para a seleção principal.

Mundial Sub-20 de 2007, Olimpíadas de 2008
Revelado pelo Corinthians
Atualmente no Atlético Mineiro

Não é de hoje que Jô desfruta de seu espaço na seleção brasileira. O centroavante era figura carimbada na equipe desde os juvenis e já tinha sido vendido ao CSKA Moscou quando esteve no Mundial Sub-20 de 2007, depois mesmo de sua estreia pela seleção principal, com Dunga. Apesar da badalação, não marcou um gol sequer. Era reserva no time que ficou com a medalha de bronze nas Olimpíadas de 2008, pouco depois de se ir para o Manchester City. Todavia, após ser tratado como um flop na Europa, só no Atlético que voltou a ter espaço na seleção.

Walter

5783831

Sul-Americano Sub-20 de 2009
Revelado pelo Internacional
Atualmente no Fluminense

Walter foi o cara do Brasil na conquista do Sul-Americano Sub-20. Foi o melhor jogador e o artilheiro do certame, com cinco gols – em uma época na qual era um jogador robusto, mas longe da fama de gordo. Acabou de fora do Mundial por lesão e, depois disso, passou por Porto, Cruzeiro e Goiás, onde voltou a encontrar seu melhor nível. Contudo, foi apenas a partir desse momento que passou a ser cogitado pela seleção principal.

Alan Kardec

Sul-Americano e Mundial Sub-20 de 2009
Revelado pelo Vasco
Atualmente no Palmeiras

Kardec era o camisa 9 do time de Rogério Lourenço, derrotado apenas na decisão daquele Mundial. Esteve entre os protagonistas especialmente nos mata-matas, marcando o gol da classificação na semifinal. Depois de deixar o Vasco, rodou muito sem se firmar: Internacional, Benfica e Santos. Só começou a dar certo mesmo no Palmeiras, de boas atuações na Série B e no Paulistão, quando foi mencionado por Luiz Felipe Scolari.

Henrique

Sul-Americano e Mundial Sub-20 de 2011
Revelado pelo São Paulo
Atualmente no Botafogo

Diante das ausências de Neymar e Lucas Moura no Mundial Sub-20, Henrique ganhou mais espaço na equipe de Ney Franco e foi um dos destaques na campanha do título. Marcou cinco gol e acabou recebendo a Bola de Ouro do torneio – que, para muitos, deveria ter ficado com Oscar. O sucesso, porém, esteve longe de ser suficiente para chegar à seleção principal, como vários de seus companheiros. Sem espaço no São Paulo, passou por Vitória, Granada e Sport. Desde o ano passado defende o Botafogo, com pouco espaço entre os titulares.

Willian José

Sul-Americano e Mundial Sub-20 de 2011
Revelado pelo Grêmio Barueri
Atualmente no Real Madrid Castilla

Outro jogador presente no título Mundial Sub-20 de 2011 que nem passou perto da seleção principal. Willian José foi mais importante no Sul-Americano, que também serviu para que conseguisse uma transferência ao São Paulo. Sem se firmar sequer nos clubes, desde o início do ano está no Real Madrid Castilla, tentando a mesma conexão bem-sucedida de Casemiro.

Leandro Damião

Olimpíadas de 2012
Revelado pelo Internacional
Atualmente no Santos

Damião estava nos últimos momentos de sua grande fase no Internacional quando foi convocado às Olimpíadas. Fazia parte da seleção desde o ano anterior, com boas aparições no Superclássico das Américas e acabou ganhando a camisa 9 de Mano Menezes. Em Londres, o centroavante teve seu ápice com a camisa amarela, artilheiro do time olímpico com seis gols, mas apagado demais na derrota para o México na final. Esteve em três das quatro primeiras convocações de Felipão, mas não voltou desde que foi cortado da Copa das Confederações.