Higuaín começou no banco de novo, mas entrou para resolver e garantiu a vitória da Juve

Durante o final de semana, Juventus e Olympiacos protagonizaram partidas bastante diferentes. Enquanto a Velha Senhora amassou o Torino no dérbi, a Thrylos sofreu uma virada incrível no clássico contra o AEK Atenas, que decretou o seu pior início no Campeonato Grego em quase três décadas. Em consequência, o técnico Besnik Hasi acabou demitido pelos alvirrubros. Grandes chances de uma goleada em Turim, certo? Não foi o que se viu. Os visitantes deram muito trabalho e só nos minutos finais a Juve resolveu o confronto. Cortesia de Gonzalo Higuaín, que saiu do banco apenas aos 15 do segundo tempo, mas participou de ambos os gols para o triunfo por 2 a 0, o primeiro dos bianconeri na fase de grupos da Liga dos Campeões.

Mesmo assumindo em cima da hora, Takis Lemonis teve certo sucesso em sua estratégia à frente do Olympiacos. O time marcava bem e dificultava a vida da Velha Senhora, que não conseguia criar. Além disso, quando os juventinos começaram a encontrar mais espaços, a partir do final do primeiro tempo, viram o goleiro Silvio Proto crescer, realizando grandes defesas. Além disso, o arqueiro ainda contou com a ajuda da trave para evitar um gol contra de Björn Engels.

Reserva contra o Torino, Higuaín mais uma vez começou no banco diante do Olympiacos. E quando o centroavante saiu para o aquecimento, em um jogo tão difícil, já empolgou a torcida juventina. Aos 15 minutos, ele substituiu Juan Guillermo Cuadrado. Aos 24, em suas primeiras finalizações, abriu o placar. Após jogada de Alex Sandro, Pipita precisou arrematar duas vezes, mas aproveitou que Proto estava no chão para balançar as redes. O gol dava tranquilidade à Velha Senhora. Além disso, o camisa 9 parecia disposto a mostrar serviço, correndo e se esforçando sem a bola. Não à toa, o segundo tento foi um tanto quanto atípico. Higuaín partiu em velocidade da intermediária, como um meio-campista. Enfiou a bola para Dybala arrematar e, na sobra, Mario Mandzukic marcou.

Em um momento de desconfianças acima do normal sobre Higuaín, especialmente por suas condições físicas, o artilheiro deu a resposta necessária: saiu do banco e resolveu. A maneira como ele entrou com vontade e mudou a partida deve contar bastante a Massimiliano Allegri. O problema será a regularidade para seguir fazendo isso, especialmente quando seu desgaste for maior. Ao menos neste momento, o camisa 9 reafirma sua importância no grupo, oferecendo três pontos importantes na Champions.